Materialidade televisiva e ambiência belle époque na minissérie Mad Maria: a lógica sensorial na minissérie como dilema

  • Solange Wajnman Universidade Paulista
  • Mariana Christina de Farias Tavares Centro Universitário Una
Palavras-chave: Ambiência belle époque, cenários, figurinos, sensorialidade, midiatização.

Resumo

A partir do estudo dos recursos expressivos da minissérie Mad Maria, tais como imagens cenográficas e figurino, pretendemos argumentar que essa produção traz, enquanto forma, elementos que apontam para a ambiguidade da visualidade televisiva. Em outras palavras, ao ilustrar paisagens românticas e impressionistas, bem como a ambiência da belle époque com suas luzes, cores reluzentes, tecidos vaporosos e cintilantes para o figurino, o dilema do meio televisivo é anunciado de maneira metafórica. De um lado, o envolvimento sensorial e a fruição estética autônoma do espectador são alavancados por esses elementos, o que favorece a mobilidade do olhar. No entanto, essa mesma condição inicial da percepção começa a se vincular a uma ordem produtiva da empresa, responsável por domesticar o olhar, inserindo-o em uma narrativa linear e em uma figurativização glamourizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Solange Wajnman, Universidade Paulista
Doutora em Sociologia pela Paris V, Sorbonne University com estágio doutoral na Escola Superior de Teatro e Cinema de Portugal e em Estudos Literários na Universidade Federal Fluminense e Professora Titular no PPG em Comunicação e Cultura Midiática na Universidade Paulista.
Mariana Christina de Farias Tavares, Centro Universitário Una

Doutoranda em Comunicação pela Universidade Federal de Minas Gerais, Mestre pelo Centro Universitário SENAC, docente do Centro Universitário UNA e do Instituto de Comunicação e Artes.

Referências

BRAGA, J. L. Mediatização como processo interacional de referência. In: MÉDOLA, A.S.D. et al. (Orgs.) Imagem, visibilidade e cultura midiática. Livro da XV Compós. Porto Alegre: Sulina, 2007.

CRARY, J. Técnicas do observador: visão e modernidade no século XIX. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

COUCHOT, E. Images de l’optique au Numerique. Paris: Editions Hermès, 1988.

GUNNING, T. O retrato do corpo humano: a fotografia, os detetives e os primórdios do cinema. In: CHARNEY, L. , SCHWARTZ, Vanessa (Orgs.) O Cinema e a invenção da vida moderna. São Paulo: Cosac & Naify,2001.

MACHADO, A. A Arte do Vídeo. São Paulo:Brasiliense, 1990.

----------------------------- Pré-cinemas & Pós Cinemas. Campinas :Papirus, 2002.

MÜLLER, A. João do Rio e o Cinematographo: primeira modernidade literária e primeiro cinema. Revista eletrônica Itinerários, Araraquara, n.36, 2013.

RIO, J. A alma encantadora das ruas. São Paulo: Companhia de Bolso, 2008.

------------ Cinematógrafo. Rio de Janeiro: Acadêmia Brasileira de Letras, 2009.

Publicado
2015-12-22
Como Citar
WAJNMAN, S.; TAVARES, M. Materialidade televisiva e ambiência belle époque na minissérie Mad Maria: a lógica sensorial na minissérie como dilema. RuMoRes, v. 9, n. 18, p. 25-51, 22 dez. 2015.
Seção
Dossiê