Paradoxos da “identidade nacional” nos discursos arquitetônicos de Lucio Costa e Sylvio de Vasconcellos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02672020v28e14

Palavras-chave:

Identidade nacional, Lucio Costa, Sylvio de Vasconcellos, Arquitetura colonial, Movimento Moderno

Resumo

No debate em torno do período e do estilo arquitetônico que representassem a identidade nacional na historiografia da arquitetura brasileira, nas primeiras décadas do século XX, diferentes agentes tomaram lugar na consolidação do ideário patrimonial arquitetônico. Figuras marcantes às políticas de preservação cultural, tais como Rodrigo Melo Franco de Andrade e Mário de Andrade, integraram o espaço público ressaltando suas posições de intelectuais inerentes às políticas culturais. Tendo em vista tal fato, este artigo se debruça sobre a consolidação no imaginário social da arquitetura setecentista enquanto efetiva representação da arquitetura nacional, concretizando-se enquanto estilo/período com o maior número de edificações tombadas até 1970. Compreendendo os diferentes sujeitos envolvidos nesse processo, centra-se, assim, na efetiva ação política de Lucio Costa e Sylvio Vasconcellos na defesa em torno do patrimônio colonial, a partir de textos e intervenções nas cidades tombadas Brasil afora, conformando
e consolidando suas estratégias em torno de um ideário de patrimônio e nação. Além disso, busca-se compreender a relação direta estabelecida por ambos os agentes entre a arquitetura “eleita” patrimônio nacional e os preceitos do novo fazer arquitetônico vinculado ao Movimento Moderno, ao qual eram adeptos. Justificando o novo a partir do primitivo, numa relação perfeita em que tudo se explica e se encaixa, a arquitetura eclética foi tratada como cópia de estilos, exacerbação de ornamentos e vinculação ao estrangeirismo, se opondo assim ao projeto de nação pleiteado. Devemos sempre rever conceitos e diretrizes, tratando de forma mais verdadeira e justa o nosso patrimônio eclético, e em consequência, nossa historiografia arquitetônica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Nogueira Dias, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Arquiteto Urbanista pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Doutorando em Arquitetura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Referências

ARQUIVOS CONSULTADOS

Arquivo Central do Iphan (ACI/RJ) no Rio de Janeiro. Assunto: Ouro Preto – Série Obras: Caixas 0218, 0246, 0247. Assunto: Rio de Janeiro – Série Inventário: RJ/264/3, RJ265/1. Assunto: São João del-Rei – Série Inventário: Caixas MG129/1, MG129/2, MG129/3, MG131/3; Série Personalidades: Alcides da Rocha Miranda, Arthur Arcuri, Augusto Carlos da Silva Telles, José de Souza Reis, Lucio Costa, Sylvio de Vasconcellos; Série Obras: Caixas 0277, 0278, 0279, 0280, 0281, 0282, 0283, 0284, 0285, 0288, 0291, 0295, 0296, 0297, 0298, 0299, 0300, 0301; Série Tombamento: Processo 0068-T- 38, Processo 0361-T-46, Processo 1185-T-85, Processo 373-T-47; Série Cartografia: ANS01543, ANS 1544, ANS01564, ANS01566, ANS01568, ANS01569, ANS01579, ANS01580, ANS01581.

FONTES MANUSCRITAS

ANDRADE, Rodrigo Melo Franco de. [Correspondência]. Destinatário: Benedito Saraiva, diretor do Liceu de Artes e Ofícios de Ouro Preto. S./d.; s./p. ANJOS. C.A.V. O liceu de artes e ofícios: uma história que se reconstrói. 1998.

ANJOS. C.A.V. O liceu de artes e ofícios: uma história que se reconstrói. 1998.

COSTA, Lucio. Informação s/nº. Rio de Janeiro, 10 maio 1954a. ACI/RJ – Série Obras, Caixa 0218, Pasta 0946.

COSTA, Lucio. Informação nº. 247. Comunicação com José de Souza Reis e Renato Soeiro. Rio de Janeiro, 29 dez. 1954b. ACI/RJ – Série Obras, Caixa 0218, Pasta 0946.

COSTA, Lucio. Informação nº. 84. Comunicação com José de Souza Reis. Rio de Janeiro, 29 maio 1956. ACI/RJ – Série Obras, Caixa 0218, Pasta 0946.

COSTA, Lucio. Processo de Tombamento do prédio do Ministério da Agricultura, no Rio de Janeiro. Arquivo Central do Iphan (ACI/RJ) no Rio de Janeiro, Série Tombamento, Processo nº. 982-T-78, de 1978.

VASCONCELLOS, Sylvio de. Ofício nº. 500. Belo Horizonte, 26 jun. 1958. ACI/RJ – Série Obras, Caixa 0218, Pasta 0946.

FONTES ICONOGRÁFICAS

BRANDI J. Liceu de Artes e Ofícios de Ouro Preto em 1898. 1. Fotografia. Arquivo Público Mineiro, s/d. Disponível em: <https://bit.ly/2jWdh0v>. Acesso em: 6 jun. 2019.

COSTA, Lucio. Croqui para remodelação da fachada do Liceu de Artes e Ofícios de Ouro Preto. 1956. ACI/RJ – Série Obras, Caixa 0218, Pasta 0946.

LICEU de Artes e Ofícios de Ouro Preto após as obras, já como cinema, na década de 1980. O Tempo, 2016. Disponível em: <https://bit.ly/2k1GN5c>. Acesso em: 6 mai. 2019.

LICEU de Artes e Ofícios de Ouro Preto em fase final das obras para cinema, com grande volume na parte posterior; e a solução encontrada por Vasconcellos com a construção de um segundo pavimento em estilo patrimônio na edificação vizinha, em 1959. 1. Fotografia. ACI/RJ – Série Obras, Caixa 0218, Pasta 0946.

LIVROS, ARTIGOS E TESES

ANDRADE, Rodrigo Melo Franco de. Palestra proferida em Ouro Preto, a 1-7-68. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde; Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n. 17, p. 11-26, 1969.

BAETA, Rodrigo Espinha. A crítica de cunho Modernista à arquitetura colonial e ao Barroco no Brasil: Lucio Costa e Paulo Santos. Cadernos de Arquitetura e Urbanismo, Belo Horizonte, v. 10, n. 11, p. 35-56, 2003.

BAREL FILHO, Ezequiel. Lucio Costa em Ouro Preto: a invenção de uma “cidade barroca”. Dissertação (Mestrado em História) – Faculdade de Letras, Universidade de Coimbra, Coimbra (PT), 2013.

BICALHO, Carlos H.; BRANDÃO, Mariana G.; OLIVEIRA, Françoise G. Conjunto Arquitetônico Sylvio de Vasconcellos. Belo Horizonte: Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, 2006.

BRASILEIRO, Vanessa Borges. Sylvio de Vasconcellos: um arquiteto para além da forma. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

BUENO, Fernanda Alves de B.; SCHETTINO, Patrícia T. J.; PASCOAL, Gabriela S.; RIBEIRO, Paula. Reflexão sobre a produção arquitetônica em Ouro Preto da segunda metade do séc. XIX ao início do séc. XX: reconhecimento e preservação. In: Encontro Internacional sobre Preservação do Patrimônio Edificado – Arquimemória, V, 2017, Salvador, Anais [...]. Salvador: IAB-BA; UFBA, 2017.

CASTRIOTA, Leonardo Barci. Os alvos da história da arquitetura: João Boltshauser e Sylvio de Vasconcellos. Arquiteturarevista, São Leopoldo (RS), v. 9, n. 2, p. 73-81, jul./dez. 2013.

CASTRIOTA, Leonardo Barci. Patrimônio Cultural: conceitos, políticas instrumentos. São Paulo: Annablume, 2009.

COMPAGNON, Antoine. Os cinco paradoxos da modernidade. Belo Horizonte: UFMG, 1996.

COSTA, Lucio. Documentação necessária. Revista do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde; Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n. 1, p. 31-39, 1937.

COSTA, Lucio. Lucio Costa: sôbre arquitetura. Porto Alegre: Centro de Estudantes Universitários de Arquitetura, 1962.

COSTA, Lucio. Problema Mal Posto. 19 de novembro de 1972. PESSOA, José (Org.). Lucio Costa: Documentos de trabalho. Rio de Janeiro: Iphan/Minc, p. 278, 1999.

CHUVA, Márcia R. R. Os Arquitetos da Memória: sociogênese das práticas de preservação do patrimônio cultural no Brasil (Anos 1930-1940). Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009.

DIAS, Diego Nogueira. “Estilo” Patrimônio: formação e consolidação de uma identidade nacional em São João del-Rei, Minas Gerais. Dissertação (Mestrado em Ciências em Arquitetura) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

FONSECA, Maria Cecília Londres. O patrimônio em processo: trajetória da política federal de preservação no Brasil. Rio de Janeiro: Editora UFRJ/Minc-Iphan, 2005.

GUIMARAENS, Cêça. Paradoxos entrelaçados: as torres para o futuro e a tradição nacional. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2002.

MICELLI, Sergio. SPHAN: Refrigério da Cultura Oficial. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro: SPHAN; pró-Memória, n. 22, p. 44-47, 1987.

NASCIMENTO, Flávia Brito do. Patrimônio Cultural e escrita a história: a hipótese do documento na prática do Iphan nos anos 1980. Anais do Museu Paulista, São Paulo, v. 24, n. 3, p. 121-147, set.-dez. 2016.

PUPPI, Marcelo. Por uma História não Moderna da Arquitetura Brasileira: questões de historiografia. Campinas: Pontes, 1998.

REIS, Luiz Fernando. O feito e o efeito: as memórias e as representações da preservação do Conjunto Arquitetônico e Urbanístico do Sêrro – MG. Tese (Doutorado em Arquitetura) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

RUBINO, Silvana. Lucio Costa e o patrimônio histórico e artístico nacional. Revista USP, São Paulo, n. 53, p. 6-17, 2002.

RUBINO, Silvana. O mapa do Brasil Passado. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde; Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n. 24, p. 97-105, 1996.

SAIA, Luís. Artigo sem título publicado na revista Arquitetura, nº. 17, em 1977. Proteção e Revitalização do Patrimônio Cultural no Brasil: uma trajetória. Brasília: SPHAN/pró-Memória, p. 17-?, 1980. Disponível em: <https://bit.ly/2GZTyUt>. Acesso em 30 de dezembro de 2018.

SILVA, Lucílio Luís. Educação e trabalho para o progresso da nação: o Liceu de Artes e Ofícios de Ouro Preto (1886-1946). Dissertação (Mestrado em Educação Tecnológica) – Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

VASCONCELLOS, Sylvio de. Arquitetura no Brasil: sistemas construtivos. Belo Horizonte: UFMG, 1979.

VASCONCELLOS, Sylvio de. Construções Coloniais em Minas Gerais. ____. Arquitetura dois estudos. Goiânia: MEC/SESU/PIMEG-ARQ/UCG, p. 37-61, 1983.

VASCONCELLOS, Sylvio de. Vila Rica: Formação e Desenvolvimento. São Paulo: Perspectiva, 2011.

Downloads

Publicado

2020-06-11

Como Citar

Dias, D. N. (2020). Paradoxos da “identidade nacional” nos discursos arquitetônicos de Lucio Costa e Sylvio de Vasconcellos. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 28, 1-26. https://doi.org/10.1590/1982-02672020v28e14

Edição

Seção

Estudos de Cultura Material