Lendo (e escrevendo sobre) Levrero

  • Antonio Marcos Pereira Universidade Federal da Bahia. Instituto de Letras
Palavras-chave: Mario Levrero, Roland Barthes, Crítica, Crítica patética

Resumo

Meu propósito neste ensaio é – partindo de uma reflexão produzida anteriormente a respeito de conexões entre algumas propostas de Roland Barthes e a produção final de Mario Levrero – considerar um aspecto da recepção justamente desse entrecho de sua obra (composto por Diario de un canalla, El discurso vacío e La novela luminosa). Assim, continuando na exploração do paralelismo entre propostas de Barthes e potencialidades interpretativas da produção de Levrero, invisto com um pouco mais de vigor na expansão do que poderia ser uma “crítica patética”, e comento o que percebo como estratégias de evitação dessa forma da crítica em ensaios de Adriana Astutti e Sandra Contreras. Por essa via, busco angariar argumentos que destaquem a pertinência de uma inclinação crítica que permita uma aproximação de elementos autobiográficos no processo de, como diz Barthes, “escrever a leitura” (Écrire la lecture).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Marcos Pereira, Universidade Federal da Bahia. Instituto de Letras

Antonio Marcos Pereira é doutor em Letras pela UFMG e leciona no Instituto de Letras da UFBA desde 2007. Co-organizou Toda a orfandade do mundo: Ensaios sobre Roberto Bolaño (Relicário, 2016) e Palavras da crítica contemporânea (Paralelo 13S, 2017).

Referências

Astutti, Adriana. “Ejercícios de caligrafía: Mario Levrero”. In: Boletin del Centro de Estudios de Teoría y Crítica Literaria, p.13-14, 2008.
Astutti, Adriana. “Escribir para después: Mario Levrero”. In: De Rosso, Ezequiel. (org.) La máquina de pensar em Mario: ensayos sobre la obra de Levrero. Buenos Aires: Eterna Cadencia Editora, 2013, p.201-222.
Barthes, Roland. “Durante muito tempo fui dormir cedo”. In: Barthes, Roland. O rumor da língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004, p.283-294.
Barthes, Roland. A preparação do romance. São Paulo: Martins Fontes, 2005a. 1 v.
Barthes, Roland. A preparação do romance. São Paulo: Martins Fontes, 2005b. 2 v.
Barthes, Roland. Como viver junto. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
Chejfec, Sergio. “Lápices y angustias”. In: De Rosso, Ezequiel. (org.) La máquina de pensar em Mario: ensayos sobre la obra de Levrero. Buenos Aires: Eterna Cadencia Editora, 2013, p.191-200.
Sandra Contreras, “Levrero con Barthes, indagaciones novelescas”. In: Cuadernos LIRICO, 14, 2016. Disponível em: http://journals.openedition.org/lirico/2186. Acesso em: 26 out. 2018.
De Rosso, Ezequiel. (org.) La máquina de pensar em Mario: ensayos sobre la obra de Levrero. Buenos Aires: Eterna Cadencia Editora, 2013.
Laddaga, Reinaldo. “Un autor visita su casa: sobre La novela luminosa, de Mario Levrero”. In: De Rosso, Ezequiel. (org.). La máquina de pensar em Mario: ensayos sobre la obra de Levrero. Buenos Aires: Eterna Cadencia Editora, 2013, p.223-235.
Levrero, Mario. Diario de un canalla – Burdeos, 1972. Buenos Aires: Mondadori, 2013.
Levrero, Mario. El discurso vacío. Barcelona: Debolsillo, 2009.
Levrero, Mario. La novela luminosa. Montevideo: Alfaguara, 2005.
Ngai, Sianne. Our aesthetic categories: zany, cute, interesting. Cambridge: Harvard UP, 2012.
Publicado
2019-06-19
Como Citar
Pereira, A. M. (2019). Lendo (e escrevendo sobre) Levrero. Caracol, (17), 173-188. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9651.v0i17p173-188