As dinâmicas singulares dos processos de mudança política no Brasil: traçando um diálogo entre as reflexões de Maria Isaura Pereira de Queiroz e as de Celso Furtado no período pré-golpe de 1964

  • Maria José de Rezende Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Oligarquismo, Mudança política, Urbanização, Industrialização

Resumo

Os processos de urbanização e de industrialização desencadeados no país, a partir de 1930, teriam posto fim a um dado padrão de domínio oligárquico ou este último teria sido reinventado em razão da reestruturação das relações sociais e políticas? Foram muitos os pensadores sociais brasileiros que investigaram as persistências, as adaptações, as permanências que se foram estabelecendo na segunda metade do século XX. Neste artigo, serão destacadas duas posições que ora se complementam, ora se repelem ao tratarem dos (des)caminhos das mudanças sociais e políticas no país. Maria Isaura Pereira de Queiroz tem o mérito de focar de modo microssociológico as ações, as atitudes, os valores indicadores da força do oligarquismo no Brasil. Celso Furtado, por sua vez, ao atuar na década de 1950 junto à SUDENE, também verificava que a força da oligarquia era colossal. No entanto, essa força poderia ser combatida por meio da expansão das forças sociais que ganhavam substancialidade com o processo de industrialização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria José de Rezende, Universidade Estadual de Londrina
Professora de Sociologia, Universidade Estadual de Londrina (UEL). Doutora em Sociologia da Universidade de São Paulo
Publicado
2007-01-01
Como Citar
Rezende, M. (2007). As dinâmicas singulares dos processos de mudança política no Brasil: traçando um diálogo entre as reflexões de Maria Isaura Pereira de Queiroz e as de Celso Furtado no período pré-golpe de 1964. Cadernos CERU, (18), 35-51. https://doi.org/10.1590/S1413-45192007000100003
Seção
Dossiê Amazônia