Catadores de lixo: estereótipos sociais sobre sua atividade e relação com a escola - Um estudo de caso

  • Renata Brañas Suman Universidade Metodista de São Paulo
Palavras-chave: Catadores de lixo, Exclusão social, Moradores de rua

Resumo

O cotidiano e a realidade dos catadores de lixo e moradores de rua são pouco conhecidos dos educadores, os quais, de maneira geral, têm uma visão restrita da situação dos primeiros. Essa pesquisa procurou trazer a rotina dos catadores de lixo e dos moradores de rua, com o objetivo de proporcionar aos profissionais da educação uma visão abrangente sobre o objeto da pesquisa. Isso poderá auxiliá-los a trabalhar melhor alguns temas, como o preconceito, a exclusão, a reciclagem e outros que fazem parte do universo desses indivíduos. Realizada no Vale do Paraíba, a pesquisa verificou a educação formal, a inserção no mercado de trabalho, a rotina do trabalho de catação, a relação com a polícia, a presença de atividades ilícitas no grupo, a relação com a comunidade e com a família. Analisou, ainda, o conceito que eles têm de si e o que acham que os outros têm deles. Foram estudadas, também, as idéias que a classe média tem dos catadores e moradores de rua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Brañas Suman, Universidade Metodista de São Paulo
Mestre em Educação pela Universidade Metodista de São Paulo
Publicado
2007-01-01
Como Citar
Suman, R. (2007). Catadores de lixo: estereótipos sociais sobre sua atividade e relação com a escola - Um estudo de caso. Cadernos CERU, (18), 159-177. https://doi.org/10.1590/S1413-45192007000100009
Seção
Dossiê Amazônia