Militâncias, alianças e ocupação de cargos políticos não-eletivos

  • Eliana Tavares dos Reis Universidade Federal do Maranhão
Palavras-chave: Engajamento militante, Profissionalização militante, Contestação política, Alianças, Carreiras

Resumo

O presente artigo analisa padrões de especialização seguidos por militantes que estrearam sua atuação no movimento estudantil e em organizações clandestinas de esquerda durante o regime militar no Rio Grande do Sul. A ênfase recai no cotejamento de modalidades de carreiras caracterizadas como "especialização técnico-administrativa" e "especialização militante", evidenciando os principais critérios de hierarquização política e social dos agentes. Para tanto, foram examinados os recursos mobilizados e as "escolhas" efetuadas pelos agentes no decurso de trajetórias tendo em vista as "oportunidades" disponíveis nas diferentes conjunturas, bem como sua tradução em termos de posição e tomadas de posição social, profissional e política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliana Tavares dos Reis, Universidade Federal do Maranhão
Bacharel em Ciências Sociais, Mestre e Doutora em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Realizou dois estágios doutorais em Paris, o primeiro, em Ciências Sociais pela École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS) e, o segundo, em Ciência Política pela Université Paris I - Panthéon de la Sorbonne. É docente e pesquisadora da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).
Publicado
2009-06-01
Como Citar
Reis, E. (2009). Militâncias, alianças e ocupação de cargos políticos não-eletivos. Cadernos CERU, 20(1), 171-187. https://doi.org/10.1590/S1413-45192009000100010
Seção
Dossiê Amazônia