PARTIR PARA O TRABALHO DE CAMPO EM SOCHAUX COM “BOURDIEU NA CABEÇA”

  • Michel Pialoux École des Hautes Études en Sciences Sociales, Centre de Sociologie Européenne, CNRS, Paris.
  • Stéphane Beaud École Normale Supérieure, Paris
Palavras-chave: Etnografia operária, Pierre Bourdieu, Biografia social

Resumo

O texto percorre um longo itinerário de pesquisa dos autores com um
informante, militante operário de uma fábrica de automóveis francesa, cujos
resultados são aqui expostos na forma de um depoimento e de uma reflexão – metodológica e teórica – acerca do fazer sociológico, da relação entre o pesquisador e o pesquisado, dos dilemas e das escolhas que se colocam para capturar uma experiência ao mesmo tempo individual e coletiva, tendo como inspiração o trabalho de Pierre Bourdieu e as indicações que se pode encontrar na obra desse autor sobre o trabalho de campo, a representação das classes populares, a questão da cultura dos dominados, e a biografia social (e seus limites). Ao mesmo tempo, são discutidas as especificidades do trabalho dos autores em relação aos temas e ao conjunto das contribuições conhecidas de Bourdieu. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michel Pialoux, École des Hautes Études en Sciences Sociales, Centre de Sociologie Européenne, CNRS, Paris.

Pesquisador da École des Hautes Études en Sciences Sociales, Centre de Sociologie Européenne, CNRS, Paris.

Stéphane Beaud, École Normale Supérieure, Paris
Professor do Departamento de Ciências Sociais da École Normale Supérieure, Paris.
Como Citar
Pialoux, M., & Beaud, S. (1). PARTIR PARA O TRABALHO DE CAMPO EM SOCHAUX COM “BOURDIEU NA CABEÇA”. Cadernos CERU, 24(2), 31-51. Recuperado de http://www.periodicos.usp.br/ceru/article/view/87206
Seção
Dossiê Amazônia