Ética e estética da programação infanto-juvenil

  • Claúdio Cardoso de Paiva Universidade Federal da Paraíba
Palavras-chave: comunicação, mitologias, ficção televisiva, Monteiro Lobato

Resumo

Neste texto, de caráter ensaístico, busca-se examinar os produtos de comunicação como diversão e entretenimento, mas também como um dispositivo pedagógico. De modo específico, coloca-se em discussão a relação de curiosidade entre a mídia e as crianças. Oportunamente, recuperamos alguns trechos de uma pesquisa que engendrou uma tese de doutorado em Ciências Sociais, intitulada As imagens dionísicas no contexto da cultura de massauma interpretação estética da ficção televisiva brasileira. A tese, defendida em Soborne, no inverno de 1995, teve a orientação do Prof. Michel Maffesoli. O presente texto propõe um debate sobre as relações intertextuais entre a literatura e a televisão; depois estimula uma reflexão sobre a ética e a estética da ficção televisiva e, finalmente, coloca em perspectiva a obra de Monteiro Lobato, O sítio do pica-pau amarelo, adaptada para a televisão, e discute os problemas do encantamento, assédio e possível esclarecimento do público infanto-juvenil face à mídia eletrônica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2001-12-30
Como Citar
Paiva, C. (2001). Ética e estética da programação infanto-juvenil. Comunicação & Educação, (22), 37-45. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v0i22p37-45