Cinema e Educação: reflexões e interfaces

  • Leda Mota Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
  • Márcia do Carmo Felismino Fusaro Universidade Nove de Julho

Resumo

Pensar a utilização do cinema na sala de aula infere maiores reflexões sobre como aproveitar construtivamente esse instrumento sem deixar que ela caia na banalidade. Optamos pelo filósofo francês Gilles Deleuze (1925-1995) e pelo diretor cinematográfico também francês Alain Resnais (1922) como mediadores do diálogo entre Educação e Cinema, por consideramos os conceitos desenvolvidos por ambos como pressupostos destacáveis para reflexões interdisciplinares por parte do professor consciente da importância das interfaces do conhecimento no desenvolvimento de suas aulas. Exporemos alguns conceitos desenvolvidos por Deleuze no tocante ao cinema pensante como produção filosófica, e aplicaremos a leitura de Deleuze, pautada pelo diálogo interdisciplinar entre educação, arte e filosofia, ao curta metragem Toda a Memória do Mundo (1956), de Alain Resnais, por entendermos essa obra como exemplo temático e estético para um trabalho com alunos em sala de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leda Mota, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica da PUC-SP. Pesquisadora do CNPq Nível 1. Pesquisadora do Instituto de Estudos Avançados da USP (IEA). Crítica literária e tradutora. Pós-doutorados pela Université de Paris VII (1986-1988) e pelo Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica da PUC-SP (1995-1997).
Márcia do Carmo Felismino Fusaro, Universidade Nove de Julho
Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP (2013) e coordenadora e professora do curso de Letras da Universidade Nove de Julho – UNINOVE
Publicado
2014-09-22
Como Citar
Mota, L., & Fusaro, M. do C. (2014). Cinema e Educação: reflexões e interfaces. Comunicação & Educação, 19(2), 39-49. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v19i2p39-49