I soggetti clitici in fiorentino: un’analisi diacronica corpus based

  • Tommaso Raso Docente da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Lúcia de Almeida Ferrari Doutoranda da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Palavras-chave: vernáculo florentino, clíticos sujeito, corpus, fala espontânea

Resumo

O artigo trata da questão da suposta perda de clíticos sujeito no vernáculo florentino através de um estudo baseado em corpus. Os trabalhos sobre este assunto (GALLI DE’ PARATESI, 1984; SOBRERO, 1997; BERRUTO, 1997, 2005; BINAZZI, 1997, 1998, 2007; CARDINALETTI & MUNARO, 2009) afirmam que a pressão do italiano padrão, a partir dos anos do segundo pósguerra, contribuiu para a perda, por parte do vernáculo florentino, de muitas de suas características. Contudo, até o presente momento não havia sido feita qualquer investigação de tipo quantitativo e qualitativo sobre o sistema pronominal baseada em dados. A oportunidade para tal tipo de trabalho foi possível graças à publicação remasterizada do Corpus Stammerjohann (1970) e do Corpus per il Confronto Diacronico (SCARANO, 2005), ambos corpora de língua falada espontânea gravados em Florença com cerca de quarenta anos de distância. O trabalho que aqui apresentamos analisou a expressão dos clíticos sujeito de terceira pessoa do singular gl’, l’, la, e em concomitância com o verbo essere (ser) no presente do indicativo. Os resultados obtidos nesta primeira etapa do trabalho apontam para uma redução no uso dos clíticos sujeito no tempo, mas também fazem vislumbrar a retrodatação do período de início de tal perda, devido à idade dos informantes. As análises deverão continuar no futuro com um maior número de dados a fim de poder compreender melhor o fenômeno

Biografia do Autor

Tommaso Raso, Docente da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Possui graduação em Letras e Filosofia pela Università di Napoli Federico II (1988), doutorado em Filologia Moderna: Lingua, testo e storia pela Università di Napoli Federico II (1994) e pós-doutorado pela UFRJ e pela Universidade de Florença (Itália). Desde 2013 é professor titular em linguística na Universidade Federal de Minas Gerais. Atuou principalmente nos seguintes temas: filologia e linguística histórica, italiano, pragmática, linguística textual, estudos da fala e linguística de corpora. Atualmente trabalha principalmente em projetos voltados para a constituição de corpora de fala espontânea do PB e a análise da estrutura informacional e das ilocuções com base em corpora de fala espontânea. Coordena o projeto C-ORAL-BRASIL e, junto com E. Cresti, o acordo internacional da UFMG com a Università di Firenze para a compilação e o estudo de corpora interlinguísticos de fala espontânea. É bolsista do Programa Pesquisador Mineiro e referee dos principais programas de pesquisa italianos e europeus.

Lúcia de Almeida Ferrari, Doutoranda da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
possui Graduação em Lettere Moderne pela Università Cattolica del Sacro Cuore de Milão (1999), mestrado em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (2010) com trabalho sobre a erosão linguística do italiano em contato com o Português do Brasil, e é doutoranda em Estudos Linguísticos (Linguística Teórica e Descritiva) pela Universidade Federal de Minas Gerais com pesquisa sobre os pronomes clíticos no PB e no vernáculo florentino na língua falada espontânea. É professora de língua e literatura italianas, história e geografia na Escola Internacional Fundação Torino, e é professora e coordenadora de italiano para estrangeiros no Curso Luziana Lanna. Tem experiência na área de ensino de italiano (Língua e Literatura) e Linguística, com ênfase em Linguística de corpus, atuando principalmente nos seguintes temas: italiano, vernáculo florentino, português brasileiro, erosão linguística, fala espontânea, análise acústica da fala, processos de cliticização, métodos de ensino e aprendizagem e uso das TI em sala de aula.
Publicado
2014-12-19
Como Citar
Raso, T., & Ferrari, L. (2014). I soggetti clitici in fiorentino: un’analisi diacronica corpus based. Revista De Italianística, (28), 87-113. https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.v0i28p87-113
Seção
Não definida