Le “Fabulae” di Boccaccio

  • Pedro F. Heise Universidade Federal de São Paulo. Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Palavras-chave: Decameron, Genealogia deorum gentilium, fabulae

Resumo

No Proêmio do Decameron, Boccaccio aponta que contará “cem novelas, ou fábulas, ou parábolas, ou histórias que queiramos dizer”, termos sinonímicos que reforçam a novidade do gênero “novela”. Na Genealogia deorum gentilium, porém, o poeta retoma o termo latino “fabula”, que é mais ainda especificado em quatro sentidos diferentes, cada um dos quais com a intenção de definir da melhor maneira possível o próprio trabalho de Boccaccio, isto é, as suas “fabulae”. Neste artigo o leitor encontrará uma discussão acerca dos quatro sentidos do termo, assim como algumas relações possíveis com a obra italiana do certaldense

Biografia do Autor

Pedro F. Heise, Universidade Federal de São Paulo. Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Professor de Língua e Literatura Latina da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Paulo. Realizou seu pós-doutorado em Literatura Italiana, sobre a poética de G. Boccaccio, na Universidade de São Paulo. É doutor em Italianística pela Università degli Studi di Roma Tor Vergata, mestre em Língua e Literatura Italiana pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo e bacharel em Letras Português-Italiano pela mesma instituição. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em língua e literatura latina, italiana e brasileira, literatura comparada e tradução.
Publicado
2015-06-12
Como Citar
Heise, P. (2015). Le “Fabulae” di Boccaccio. Revista De Italianística, (29), 71-83. https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.v0i29p71-83
Seção
Não definida