A Morte e a morte de Quincas Berro D'Água in Italiano: esiti positivi e negativi

  • Mauro Porru Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA
Palavras-chave: Jorge Amado, Elena Grechi, tradução interlinguística, tradução source oriented, tradução target oriented

Resumo

Este artigo, partindo do pressuposto de que a tradução é um importante instrumento de conexão entre duas visões de mundo, trata da análise da versão italiana do conto de Jorge Amado A morte e a morte de Quincas Berro d’Água, realizada pela tradutora Elena Grechi e publicada pela editora Garzanti em 1987. O objetivo principal de nossas reflexões consistiu em identificar os procedimentos que orientaram as escolhas tradutórias adotadas para a superação das dificuldades existentes no texto amadiano, levando em conta sobretudo a importância de um contato direto do tradutor com o contexto sociocultural em que a obra original surgiu para que se possa apreender com maior preparo a estrutura de sua linguagem, e aproximar-se com mais precisão dessa cultura para conseguir captar sua atmosfera.

Biografia do Autor

Mauro Porru, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA
Professor Associado IV aposentado da Universidade Federal da Bahia, lecionou, no Departamento de Letras Românicas do Instituto de Letras da UFBA, Língua, Literatura e Cultura Italianas. Mestre e Doutor em Letras Neolatinas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro
Publicado
2016-06-10
Como Citar
Porru, M. (2016). A Morte e a morte de Quincas Berro D’Água in Italiano: esiti positivi e negativi. Revista De Italianística, (31), 74-91. https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.v0i31p74-91
Seção
Artigos