Sintomatologia de depressão e suporte familiar em adolescentes: um estudo de correlação

  • Makilim N. Baptista
  • Andréia A. Oliveira
Palavras-chave: Depressão. Adolescentes. Suporte familiar.

Resumo

A adolescência é marcada por diversas mudanças físicas/hormonais, sociais e psicológicas, podendo favorecer o desenvolvimento de diversos transtornos e sintomas mentais, como, por exemplo, a sintomatologia depressiva, sendo que a família pode influenciar o desencadeamento/ manutenção de tais sintomas. O objetivo da pesquisa foi avaliar a correlação existente entre sintomatologia depressiva e a percepção de suporte familiar em estudantes do ensino médio. Foram participantes da pesquisa 154 adolescentes de uma escola pública. Os materiais utilizados foram um questionário de caracterização (contendo diversos fatores de risco para a depressão).O Inventário de Depressão Infantil (CDI)) e o Parental Bonding Instrument (PBI), aplicados coletivamente em sala de aula. Os principais resultados demonstraram que quanto maior a simtomatologia depressiva no adolescente mais inadequado é a percepção do suporte familiar e quanto maior a freqüencia dos fatores de risco, maior é a simtomatologia depressiva no adolescente, estando o suporte familiar correlacionado negativamente com a simtomatologia depressiva nesta amostra.

Biografia do Autor

Makilim N. Baptista
Médico, Docente do Programa de Pós-Graduação Stricto-Sensu em Psicologia da Universidade São Francisco - ltatiba/ SP
Andréia A. Oliveira
Psicóloga.

Referências

Caetano D, coordenador. Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento daCID-10: Descrições Clínicas e Diretrizes. Organiz. Mund. da Saúde. Porto Alegre: Artes Médicas; 1993.

Americam Psychiatric Association. Diagnostic and statistical manual of mental disorders 4th edition. Washington, DC: America Psychiatric Association; 2000. DSM-IV-TRIM – Manual Di agnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. Trad. Cláudia Dornelles. 4ª ed. rev. Porto Alegre: Artmed; 2002.

Young JE, Beck AT, Weinberger A. Depressão. In: Manual clínico dos transtornos psico-lógicos. Porto Alegre: Art. med.; 1999. p.273-312.

Organização Mundial da Saúde – Relatório so-bre a Saúde no Mundo: Nova concepção, nova esperança; 2001.

Fennell MJV. A natureza da depressão. In: Terapia cognitivo-comportamental para problemas psiquiátricos. São Paulo: Martins Fontes; 1997.p. 241-337.

Reinecke MA. Suicídio e depressão. In: Estratégias cognitivo-comportamentais para intervenção em crises. Campinas: Editorial PsyII; 1995. P 99-141.

Demétrio FN. Depressão: bases anátomo-fisiológicas. In: Sobre comportamento e cognição. São Paulo: Arbytes; 1997. p. l51-158.

Baptista, MN, Assumpção-Júnior, FB. Epidemiologia e gênero na depressão. In: Depressão na adolescência uma visão multifatorial, São Paulo: EPU; 1999. p.57-58.

Versiani M, Reis R, Figueira I. Diagnóstico do transtorno depressivo na infância e adolescência. Jornal Brasileiro Psiquiatria. 2000;10(12):367-82.

Assumpção-Júnior FB, Kuczynski E. Infânciae adolescência. In: Depressões em medicina interna e em outras condições médicas: depressões secundárias. São Paulo: Atheneu; 2000.p. 387-400.

Ferreira ABH, organizador. Novo dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; 1986. p.46 e 755.

Bee H. Desenvolvimento fisico e cognitivo na adolescência. In: O ciclo vital. Porto Alegre: Artes Médicas; 1997. p. 318-324.

Papalia ED, Olds SW. Desenvolvimento físico e cognitivo na adolescência. In: Desenvolvimento humano. Porto Alegre: Artmed; 2000.p. 310.

Baptista MN, Baptista ASD, Dias RR. Estrutura e suporte familiar como fatores de risco na depressão de adolescente. Psicologia Ciência e Profissão 2001; 21: 52-61.

Ribeiro RM, Sabóia AC, Branco HC, Bregman S. Estrutura familiar, trabalho e renda. In: Familia brasileira a base de tudo. Brasília: Cortez; 2000. p.143-145.

Baptista MN. Adolescência, depressão e suporte familiar. In: Depressão na adolescência uma visão multifatorial. São Paulo: EPU;1999. p. 31-441.

Herring M, Kaslow NJ. Depression and attachment in families: a child-focused perspective. Family Process 2002;41(3):494-518.

Parker G, Hadzi-Pavlovic D. Parental representtions of melancholic and non-melancholic depressives: examining for specificity to depressive type and for evidence of additive effects.Psychological medicine 1992; 22: 657-65.

Baptista MN. Depressão e suporte familiar: perspectivas de adolescentes e suas mães [dis-sertação]. Campinas (SP): Pontifícia Universidade Católicade Campinas; 1997.

Kovacs M. The Children’s Depression Inventory: a self-rated depression scale for school-a ged young’ sters. University of Pittsburh; 1983.

Gouveia W, Barbosa GA, Almeida HJF, Galão AA. Inventário de depressão infantil – CDI: estudo de adaptação com escolares de João Pessoa. Jornal Brasileiro de Psiquiatria 1995;44: 345-9.

Yates MJ. Depressão profunda recorrente. In: Compreendendo a terapia cognitiva. Campinas: Editorial Psy; 1998.

Baptista MN. Sintomas depressivos em adolescentes e a percepção da estrutura familiar. Infanto - Revista Neuropsiquiatria da Infância e Adolescência 1998; 6: 34-40.

Barbosa GA, Dias MR, Galão AA, Lorenzo WCG. Depressão infantil: um estudo de prevalência com o CDI. Infanto – Revista Neuropsiquiatria da Infância e Adolescência. 1996; 4: 36-40.

Oliveira MG, Fonseca PP, Del-Porto JA. Versão brasileira de Paykel para eventos de vida recentes. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva 2002; 4: 47-61.

Friis RH, Wittchen HU, Pfister H, Lieb R. Life events and changes in the course of depression in young adults. Eur Psychiatry. 2002; 17: 241-53.

Pine DS, Cohen P, Johnson JG, Brook JS. Adolescent life events as predictors of adult depression. J Affective Disorders. 2002; 68: 49-57.

Hammen C. Cognitive, life stress, and interpersonal approaches to a developmental psycho-pathology model of depression. Development and Psychopathology 1992; 4:189-206.

Rice F, Farold GT, Thapar A. Assessing the effects of age, sex and shared environment on the gene tic aetiology of depression in childhood and ado lescence. Journal Child Psychol Psychiatry. 2002; 43: 1039-51.

Silberg J, Rutter M, Neale M, Eaves L. Genetic moderation of environmental risk for depression and anxiety in adolescent girls. Br Journal Psychiatry. 2001;179:116-21.

Canetti L, Bachar E, Bonne O, Agid O, Lerer B, De-Nour AK, Shalev AY. The impact of parental death versus separation from parents on the men tal health of Israeli adolescents. Comprehensive Psychiatry. 2000; 41:360-8.

González-Forteza C, Palos PA, Tapia AJ. Estresres cotidianos familiares, sintomatologia depresiva e ideacíon suicida en adolescentes mexicanos. Acta psquiát Psicol Amlat 1997;43: 319-26.

Ostrander R, Weinfurt KP, Nay WR. The role of age, family support, and negative cognitions in the prediction of depressive symptoms. School Psychology Review. 1998; 27(1): 127-38.

Coutinho DS, Baptista MN, Morais PR. Depressão pós-parto: prevalência e correlação com o suporte social. Infanto – Revista Neuro-psiquiatria da infância e adolescência 2002;10:63-71.

Bandura A. Observational learning. In: Social foundations of thought and action. New Jersey: Prentice-Hall; 1996. p. 47-105.

Miller L, Kramer R, Warner V, Wickramaratne P,Weissman M. Intergenerational transmission of parental bonding among women. Journal Am. Acad. Child Adolesc. Psychiatry 1997; 8: 1134-9.

Miller L, Warner V, Wickramaratne P, Weis-sman M. Self-esteem and depression: ten year follow-up of mothers and offspring. J affective disorders 1999; 52:41-9.

Reti IM, Samuels JF, Eaton WW, Bienvenu OJ, Costa Jr PT, Nestadt G. Influences of parenting normal personality traits. Psychiatry Research. 2002; 111: 55-64.

Pearce CM, Martin G, Wood K. Sigificance of touch for perceptions of parenting and psychological adjustment among adolescents. Journal Am. Acad. Child Adolesc Psychiatry. 1995; 34:160-7.

Narita T, Sato T, Hirano S, Gota M, Sakado K, Uehara T. Parental child-rearing behavior as measured by the parental bonding instrument in a Japanese population: factor structure and relationship to a lifetime history of depression. J affective Disorders. 2000; 57: 229-234.

Mulder RT, Joyce PR, Cloninger CR. Temperament and early environment influence comorbidity and personality disordes in major depression. Comprehensive Psychiatry1994; 35: 225-33.

Rodgers B. Reported parental behaviour and adult affective symptoms. 1. Associations and moderating factors. Psychological Medicine1996; 26: 51-61.

Duggan C, Sham P, Minne C, Lee A, Murray R. Quality of parenting and vulnerability to depression: results from a family study. Psychological Medicine 1998;28: 185-91.

Rey JM. Perceptions of ~oor maternal care are associated with adolescent depression. J Affective Disorders. 1995; 34: 95-100.

Klimidis S, Minas IH, Ata AW, Atuar GW. Construct validation in adolescents of the brief current form of the parental bonding instrument. Comprehensive Psychiatry 1992;33: 378-83.

Publicado
2004-12-19
Seção
Pesquisa Original