Produção escrita para (da) academia em contexto universitário pós-Bolonha: uma reflexão crítica

Autores

  • Rosalice Botelho Pinto Universidade Nova de Lisboa
  • Gorete Marques Instituto Politécnico de Leiria. Escola Superior de Tecnologia e Gestão
  • Marisa Catarina da Conceição Dinis Instituto Politécnico de Leiria

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v31i1p127-143

Palavras-chave:

trabalho, agentividade, declaração de Bolonha, retórica da ação, interacionismo sociodiscursivo / Work, Agentivity, Bologna Declaration, Rhetoric of Action, Sociodiscursive Interactionism.

Resumo

Este artigo visa descrever a agentividade dos principais protagonistas (discentes e docentes) nas propostas apresentadas pela Declaração de Bolonha, em seu Decreto-Lei 74/2006, de 24 de março, e pelos programas implementados nas Faculdades de Direito das universidades públicas portuguesas. Seguindo pressupostos teóricos do Interacionismo Sociodiscursivo (BRONCKART et al, 2004), de uma Retórica da Ação como apontam Miller (1984) e Bazerman (2006) e contributos descritivos desenvolvidos por Fillmore (1975, 1977), poder-se-á observar que, nos documentos, os agentes principais são representados por papéis sintático-semânticos que não seriam expectáveis nestes textos. Tal constatação pode vir a atestar a existência de uma semiotização diferenciada entre a linguagem sobre o trabalho e a linguagem como trabalho, conceitos desenvolvidos por Nouroudine (2002). Procura-se mostrar, assim, através de determinado viéz descritivo, que o ‘pretenso’ objetivo da própria Declaração de Bolonha, o de estimular uma maior participação do aluno no processo de aprendizagem, de forma a torná-lo mais autónomo e mais facilmente empregável no contexto europeu, pode vir a ser seriamente comprometido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosalice Botelho Pinto, Universidade Nova de Lisboa

Pesquisadora doutora do Centro de Linguística da Universidade Nova de Lisboa – CLUNL, e do Centro de Estudos sobre Direito e Sociedade da Universidade Nova de Lisboa – CEDIS

Gorete Marques, Instituto Politécnico de Leiria. Escola Superior de Tecnologia e Gestão

Professora doutora da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Leiria – IPLeiria

Marisa Catarina da Conceição Dinis, Instituto Politécnico de Leiria

Instituto Politécnico de Leiria

Downloads

Publicado

2018-03-27

Como Citar

Pinto, R. B., Marques, G., & Dinis, M. C. da C. (2018). Produção escrita para (da) academia em contexto universitário pós-Bolonha: uma reflexão crítica. Linha D’Água, 31(1), 127-143. https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v31i1p127-143

Edição

Seção

Artigos originais