Reflexos da fábula indiana nos textos de Monteiro Lobato

  • Maria Valíria Aderson de Mello Vargas Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Fábula, Fábula indiana, Fábulas de Monteiro Lobato

Resumo

Na expansão das fábulas indianas (aqui representadas pela coleção Pancatantra) para o ocidente, traça-se, a partir da versão árabe Calila e Dimna, o caminho que vai proporcionar material para grande parte das fábulas de La Fontaine e, por meio deste, para algumas de Monteiro Lobato. Examinam-se, então, três fábulas sânscritas do Pancatantra recontadas por Lobato, apontando-se os mecanismos de organização discursiva da fábula clássica -esópica ou indiana que permanecem nas manifestações mais recentes. Infere­ se, sobretudo, que  a intertextualidade se distingue entre os critérios básicos para a caracterização do gênero literário fábula.

Biografia do Autor

Maria Valíria Aderson de Mello Vargas, Universidade de São Paulo
Professora de Língua e Literatura Sânscrita e do curso de Pós­ Graduação em Linguística
Publicado
1995-12-06
Como Citar
Vargas, M. V. (1995). Reflexos da fábula indiana nos textos de Monteiro Lobato. Magma, (2), 74-87. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1769.mag.1995.80727
Edição
Seção
Ensaios