Memorial de Aires: a alucinação erudita da vida

  • Gabriela Kvacek Betella Universidade de São Paulo.
Palavras-chave: Machado de Assis, Romance, Memorialística

Resumo

Esaú e Jacó Memorial de Aires possuem matéria comum - vida de pessoas das relações do conselheiro Aires, suposto autor dos manuscritos de origem dos livros, bem como diversos fatos marcantes do final do século XIX- sob duas formas diferentes de registro: um romance e o diário do conselheiro, crônica pessoal. Este trabalho des­ venda algumas peripécias narrativas de Machado de Assis, especialmente no que diz respeito à retomada da tradição literária e à criação do autor/narrador Aires, cujo ócio é o principal aliado na escrita cuidadosa, no fundo, saída pensada do anonimato.

Biografia do Autor

Gabriela Kvacek Betella, Universidade de São Paulo.
Doutoranda em Teoria Literária e Literatura Comparada na FFLCH-USP e bolsista da FAPESP
Publicado
2001-12-18
Como Citar
Betella, G. (2001). Memorial de Aires: a alucinação erudita da vida. Magma, 1(7), 91-103. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1769.mag.2001.86885
Edição
Seção
Ensaios