Epicuro e o desinteresse estético

  • Aiste Celkyte Yonsei University
Palavras-chave: Epicuro, Estética, Desejos, Arte

Resumo

O desinteresse estético é um dos conceitos centrais da estética, e Jerome Stolnitz, o mais proeminente teórico do desinteresse no século XX, afirmou que (i) o envolvimento dos pensadores antigos com esta noção era superficial e pouco desenvolvido e, consequentemente, (ii) a emergência do desinteresse no século XVIII marca o nascimento da estética como disciplina. Neste artigo, pretendo usar os trabalhos existentes de Epicuro para mostrar que o filósofo antigo não apenas tinha conceitos similares, como  também os usava de maneiras cuidadosas e complexas. Eu argumento que, no enquadramento teórico de Epicuro, as artes pertenciam a categoria dos desejos "meramente naturais", e esta classificação, combinada com aquilo que sabemos da rejeição de Epicuro da crítica da arte, mostra que ele tinha desenvolvido cuidadosamente razões que fundamentavam a ideia de que a arte deveria ser abordada terminalmente, ao invés de instrumentalmente. Por fim, eu comparo a noção de desinteresse estético com as visões de Epicuro acerca da arte e argumento que de muitas maneiras a última não é inferior a primeira, e que, portanto, deve pertencer a história da estética.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-03-27
Como Citar
Celkyte, A. (2017). Epicuro e o desinteresse estético. Mare Nostrum (São Paulo), 7(7), 56-74. https://doi.org/10.11606/issn.2177-4218.v7i7p56-74
Seção
Artigos