Estudo retrospectivo de fatores de risco materno, pré e perinatal para paralisia cerebral na rede pública de saúde

  • Thamires Máximo Neves Felice Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), Ribeirão Preto (SP), Brasil
  • Jair Licio Ferreira Santos Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), Ribeirão Preto (SP), Brasil http://orcid.org/0000-0001-7367-4418
  • Luzia Iara Pfeifer Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), Ribeirão Preto (SP), Brasil http://orcid.org/0000-0002-1826-1968
Palavras-chave: Paralisia Cerebral, Fatores de Risco, Desenvolvimento Infantil, Epidemiologia

Resumo

Estudo retrospectivo. Objetivo: Verificar os fatores de risco para paralisia cerebral no período de 5 anos (2010-2014) no município de Ribeirão Preto – SP, buscando identificar a proporção de crianças nascidas na rede pública e que foram identificadas como apresentando risco de atraso de desenvolvimento e, dentre estas, as diagnosticadas com paralisia cerebral, além de identificar os fatores de riscos mais prevalentes e associá-los ao diagnóstico de paralisia cerebral contribuindo, desta forma, para o desenvolvimento de estratégias locais de prevenção e assistência no município. Metodologia: A coleta de dados identificou os bebês de risco e os riscos materno, pré e perinatais nos prontuários das crianças que frequentaram o serviço de referência, onde o desfecho final era o diagnóstico de paralisia cerebral Foram realizadas análises descritivas e testes de associação. Resultados: Dos nascidos vivos no período, 23,3% foram considerados com risco de atraso do desenvolvimento. Foram analisados 481 prontuários e em 76,92% não havia informação da saúde prévia da mãe e a maioria não planejou a gravidez. Cerca de 65% das crianças apresentavam indícios de alterações neurológicas e 73,4% tiveram alta por abandono. Conclusão: O estudo identificou as crianças que tiveram risco de atraso e verificou os riscos mais frequentes e o perfil das características pré e perinatais. Devido ao número de altas por abandono, não foi possível verificar o desfecho, comprometendo as análises de associação, estimativa da prevalência de paralisia cerebral e uma intervenção mais direcionada no período de maior neuroplasticidade e melhor prognóstico, sendo necessárias adequações no serviço.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thamires Máximo Neves Felice, Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), Ribeirão Preto (SP), Brasil

Doutoranda.

Jair Licio Ferreira Santos, Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), Ribeirão Preto (SP), Brasil

Professor titular.

Luzia Iara Pfeifer, Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), Ribeirão Preto (SP), Brasil

Professora associada.

Publicado
2019-11-07
Como Citar
1.
Felice TMN, Santos JLF, Pfeifer LI. Estudo retrospectivo de fatores de risco materno, pré e perinatal para paralisia cerebral na rede pública de saúde. Medicina (Ribeirao Preto Online) [Internet]. 7nov.2019 [citado 20nov.2019];52(3):179-91. Available from: http://www.periodicos.usp.br/rmrp/article/view/152334
Seção
Artigo Original
Bookmark and Share