Conhecimentos, atitudes e práticas de universitárias em relação aos métodos contraceptivos reversíveis de longa duração (LARC)

Palavras-chave: Anticoncepção, Conhecimentos, Atitudes e Práticas em Saúde, Contracepção Reversível de Longo Prazo, Educação em Saúde, Estudantes de Medicina

Resumo

Modelo do estudo: Estudo observacional transversal descritivo. Objetivo: Avaliar os conhecimentos, atitudes e práticas de universitárias em relação aos métodos contraceptivos reversíveis de longa duração (LARC). Metodologia: A população se constituiu por universitárias do sexo feminino matriculadas no Curso de Medicina da Universidade Federal de São Carlos em 2017. O instrumento utilizado foi um questionário autoaplicável, estruturado e de múltipla escolha, composto por 27 questões divididas em características sociodemográficas, antecedentes contraceptivos, conhecimentos, atitudes e práticas em relação aos métodos LARC. Os dados foram armazenados no programa Microsoft Excel 2010. Resultados: Participaram 104 universitárias. Mais da metade delas (60,19%) não conheciam a terminologia LARC, mas conheciam: DIU de cobre (39,60%), DIU de levonorgestrel (34,95%) e implante subdérmico (21,35%). Os LARC foram considerados muito eficazes por 84,61% das participantes, porém a maioria não tinha conhecimento sobre o período contraceptivo do DIU de cobre e do implante subdérmico. Dentre elas, 57,69% demonstraram bastante interesse em utilizá-los, sendo a eficácia confiável (87,5%) o principal estímulo. O custo elevado foi motivo de desestímulo para a escolha dos métodos LARC (72,11%), bem como, de dificuldade de acesso a esses métodos (75,00%). Entre as usuárias dos LARC, 69,23% estavam muito satisfeitas, sendo a eficácia confiável e a proteção prolongada as principais causas da satisfação. Conclusão: Conclui-se que o conhecimento sobre os métodos LARC não se apresenta com único fator para a escolha desses métodos, visto que atitudes e práticas que as estimulam ou desestimulam podem interferir nesta escolha, bem como no acesso aos mesmos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Marino Sorgi, Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), São Carlos (SP), Brasil

Discente do curso de Medicina.

Fernanda Vieira Rodovalho Callegari, Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), São Carlos (SP), Brasil

Docente associada ao curso de Medicina.

 

Maristela Carbol, Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), São Carlos (SP), Brasil

Docente associada ao curso de Medicina.

 

Publicado
2019-11-07
Como Citar
1.
Sorgi CM, Callegari FVR, Carbol M. Conhecimentos, atitudes e práticas de universitárias em relação aos métodos contraceptivos reversíveis de longa duração (LARC). Medicina (Ribeirao Preto Online) [Internet]. 7nov.2019 [citado 20nov.2019];52(3):213-22. Available from: http://www.periodicos.usp.br/rmrp/article/view/154314
Seção
Artigo Original
Bookmark and Share