Sintomas osteomusculares e desempenho ocupacional: um estudo entre músicos instrumentistas no contexto do Distrito Federal, Brasil.

  • Andréia Louise A. De Carvalho Universidade de Brasília
  • Tatiana Barcelos Pontes Universidade de Brasília
  • Lilian Dias Bernardo Massa Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ)
  • Daniela da Silva Rodrigues Universidade de Brasília
  • Pedro H. T. Q. de Almeida Universidade de Brasília
Palavras-chave: Terapia ocupacional, Dor musculoesquelética, Músico, Doenças ocupacionais.

Resumo

Objetivo: Determinar a prevalência de sintomatologia osteomuscular entre músicos de uma universidade federal, verificando seu impacto sobre a participação em atividades de vida
diária e o desempenho de atividades laborais. Método: 26 músicos foram avaliados por meio do Questionário de Disfunção do Ombro, Braço e Mão e Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares. A relação entre sintomatologia musculoesquelética e desempenho ocupacional foi avaliada por meio dos testes de Mann-Whitney, Teste de Correlação de Spearman e Teste de Chi-Quadrado. Resultados: Foi observado predomínio de queixas osteomusculares nas regiões dos membros superiores e tronco, com baixa procura dos músicos por tratamentos de saúde. Observaram-se diferenças significativas no desempenho de atividades de vida diária e realização de atividades relacionadas à prática musical entre participantes que apresentavam queixas osteomusculares em membros superiores. Conclusão: O desempenho da atividade musical pode levar a processos de adoecimento, influenciando as atividades laborais, e outras áreas do desempenho ocupacional.
Ações voltadas para a prevenção e tratamento de queixas osteomusculares são importantes para a elaboração de estratégias que visam preservar e promover a saúde desta população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro H. T. Q. de Almeida, Universidade de Brasília
Terapeuta Ocupacional graduado pela Universidade Federal de São Carlos (2008), especialista em Terapia da Mão e Reabilitação do Membro Superior também pela UFSCar (2010) e Mestre em Terapia Ocupacional pelo Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos - PPGTO-UFSCar (2012). Atualmente é Professor Assistente do Curso de Terapia Ocupacional da Universidade de Brasília - Faculdade de Ceilândia. Tem experiência na área de Terapia Ocupacional, atuando principalmente nos seguintes temas: terapia ocupacional em disfunção física e recursos de tecnologia assistiva.
Publicado
2016-08-17
Como Citar
De Carvalho, A. L., Pontes, T., Massa, L., Rodrigues, D., & Almeida, P. (2016). Sintomas osteomusculares e desempenho ocupacional: um estudo entre músicos instrumentistas no contexto do Distrito Federal, Brasil. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 27(2), 165-171. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v27i2p165-171
Seção
Artigo Original