Terapia ocupacional e oncologia pediátrica: caracterização dos profissionais em centros de referência no Estado de São Paulo

  • Regina Helena Vitale Torkomian Joaquim Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Terapia Ocupacional
  • Fernanda Brioschi Soares Pontifícia Universidade Católica de Campinas
  • Mirela de OLiveira Figueiredo Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Terapia Ocupacional
  • Cristiane Miryam Drumond de Brito Universidade Federal de Minas Gerais, Departamento de Terapia Ocupacional
Palavras-chave: Oncologia, Neoplasias, Criança, Terapia ocupacional.

Resumo

O terapeuta ocupacional auxilia o paciente e a família a enfrentar e compreender o processo corporal e psíquico que a criança poderá passar a partir do momento que recebe o diagnóstico do câncer. No dia a dia visa melhorar a qualidade de vida da criança por meio de reabilitação, prevenção de sequelas, manutenção das atividades inerentes a faixa etária, além de proporcionar a (re)descoberta de capacidades e habilidades. O presente estudo teve por objetivo caracterizar os terapeutas ocupacionais que atuam na oncologia pediátrica do Estado de São Paulo. Trata-se de uma pesquisa descritiva, transversal e com abordagem quanti-qualitativa. A amostra se constituiu por 11 profissionais que atuam em instituições oncológicas. A coleta de dados ocorreu via internet, por questionário semiestruturado com questões fechadas e abertas sobre a formação e prática do profissional. Os profissionais participantes da pesquisa foram todos do sexo feminino, a faixa etária prevalente foi dos 25 aos 35 anos e a conclusão da graduação com maior incidência foi nos anos de 1980 e 2008. A abordagem terapêutica ocupacional predominante entre os profissionais teve como base o referencial da Terapia Ocupacional Dinâmica. As intervenções dos profissionais preconizam o trabalho multiprofissional, utilizam as brinquedotecas como local de intervenção e trabalham com uma diversidade de materiais em diferentes tipos de atividades. O quantitativo de terapeutas ocupacionais foi reduzido apesar de existirem 101 instituições que oferecem o tratamento oncológico. O tipo de atuação descrita pelos terapeutas ocupacionais denota responder aos preceitos da política de saúde no cuidado integral e ampliado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Regina Helena Vitale Torkomian Joaquim, Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Terapia Ocupacional
Graduada em Terapia Ocupacional pela Universidade Federal de São Carlos-UFSCar (1989), Especialização em Psicomotricidade pelo Instituto Superior de Psicomotricidde GAE/São Paulo (1992) e em Neuropediatria pela UFSCar (2006), Mestre (2000) e Doutora (2008) em Educação Especial (Educação do Indivíduo Especial) pela UFSCar. Possui Pós-doutorado pelo Departamento de Saúde Materno-Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem USP-RP, 2014. Desde 2002 é docente efetiva (atualmente Adjunto IV) do Departamento de Terapia Ocupacional da UFSCar. Atua na área de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, com ênfase em Terapia Ocupacional, principalmente, nos temas: Terapia Ocupacional, Terapia Ocupacional em Contextos Hospitalares, Desenvolvimento Infantil, Brincar, Atividades e Recursos Terapêuticos. Credenciada no Programa de Pós-Graduação, Mestrado Profissional em Gestão da Clínica (2010) com atuação na atividade curricular Práticas em Saúde e Gestão do Cuidado e Linha de Cuidado e Apoio Matricial, na linha de pesquisa Gestão do Cuidado em Saúde e no Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional (2014), na linha de pesquisa Promoção do Desenvolvimento Humano nos Contextos da Vida Diária, ambos na UFSCar.
Fernanda Brioschi Soares, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Terapeuta Ocupacional. Pós Graduada em Terapia Ocupacional aplicada à Neurologia pelo Hospital Israelita Albert Einstein. Residente Multiprofissional em Saúde Urgência e Trauma PUC Campinas
Mirela de OLiveira Figueiredo, Universidade Federal de São Carlos, Departamento de Terapia Ocupacional

Graduada em Terapia Ocupacional pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2003) e Mestre em Saúde da Criança e do Adolescente pelo Centro de Investigações em Pediatria da Universidade Estadual de Campinas (2007). Atualmente, doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Especial da Universidade Federal de São Carlos. Com experiência prática nas áreas de deficiência sensorial e cognitiva. Atua na interface entre saúde e educação enfocando nos temas intervenção com crianças com baixa visão e/ou com dificuldades de aprendizagem e suas respectivas famílias, considerando que o conceito de saúde supera os limites do enfoque orgânico e que a análise e intervenção na área requer o alcance das dimensões sociopolíticas, econômicas e legislativas envolvidas. A profissional possui publicações na área disponíveis em:

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4539520H6

Cristiane Miryam Drumond de Brito, Universidade Federal de Minas Gerais, Departamento de Terapia Ocupacional
Possui graduação em Terapia Ocupacional pela Universidade Federal de Minas Gerais (1993), mestrado em Comunicação e Semiótica pela Pontificia Universidade Católica de SP (1999) e doutorado em Comunicação e Semiótica pela Pontificia Universidade Católica de São Paulo (2004). Foi docente titular desde 1999 a 2006 na Universidade do Vale do Paraíba em São José dos Campos e desde 2001 a 2006 no Centro Universitário Monte Serrat em Santos. No ano de 2006 à 2011 atuou como docente adjunto da Universidade Federal de São Carlos, com projetos de extensão e pesquisa que faz um interface entre processos criativos de artista, cultura e Terapia Ocupacional. Também possui projetos de pesquisa em saúde mental e na atenção básica de saúde. Atuou como Docente-Preceptora da Residência Multiprofissional em Saúde da Familia e Comunidade da UFSCar. Atualmente está vinculada como Docente Associada junto ao Depatamento de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Minas Gerais-UFMG, Docente do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar de Estudos do Lazer, Coordenadora e pesquisadora do Centro Regional de Referências em Drogas -CRR-MG.
Publicado
2017-06-08
Como Citar
Joaquim, R., Soares, F., Figueiredo, M., & Drumond de Brito, C. (2017). Terapia ocupacional e oncologia pediátrica: caracterização dos profissionais em centros de referência no Estado de São Paulo. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 28(1), 36-45. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v28i1p36-45
Seção
Artigo Original