Levantamento dos problemas do dia a dia de um grupo de amputados e dos dispositivos de auxílio que utilizam

  • Rubiani Ferracin Biffi Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Laboratório Integrado de Tecnologia Assistiva (LITA)
  • Alberto Luiz Aramaki Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Laboratório Integrado de Tecnologia Assistiva (LITA)
  • Fabiana Caetano Martins Silva e Dutra Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Departamento de Terapia Ocupacional
  • Ivania Garavello Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Curso de Fisioterapia, Laboratório Integrado de Tecnologia Assistiva (LITA)
  • Alessandra Cavalcanti Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Instituto de Ciências da Saúde, Departamento de Terapia Ocupacional
Palavras-chave: Equipamentos de autoajuda, Amputação/reabilitação, Extremidade inferior, Reabilitação.

Resumo

A amputação conduz a uma mudança no estilo de vida, limitando o envolvimento em atividades, restringindo a participação social e gerando dificuldades no desempenho funcional; implicando em perda de autonomia e independência para a mobilidade. A inclusão de tecnologia assistiva pode apoiar o envolvimento em atividades e favorecer a manutenção do desempenho ocupacional, oportunizando interação e envolvimento ativo da pessoa amputada em seu contexto. O presente estudo objetiva investigar quais os problemas que um grupo de amputados de membro inferior apresenta no seu cotidiano, e qual tecnologia assistiva eles possuem. Buscou-se também analisar se essa tecnologia auxilia no desempenho funcional dos membros inferiores dos indivíduos participantes da pesquisa. É um estudo de abordagem quantitativa, do tipo observacional transversal. Participaram do estudo 14 sujeitos que apontaram dificuldades de desempenho no cuidado pessoal, na mobilidade pessoal e na independência fora de casa; e relataram ter alguns recursos de tecnologia assistiva (cadeira de rodas, banco ou cadeira de banho, tapete de borracha). Concluiu-se que, na percepção dos usuários, os equipamentos de tecnologia assistiva em uso não suprem as demandas de atividades que desejam ou necessitam se envolver no dia a dia, não auxiliando no desempenho ocupacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alberto Luiz Aramaki, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Laboratório Integrado de Tecnologia Assistiva (LITA)
Pós-Graduando do Programa de Pós-Graduação em Atenção à Saúde - Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Laboratório Integrado de Tecnologia Assistiva (LITA/UFTM)
Fabiana Caetano Martins Silva e Dutra, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Departamento de Terapia Ocupacional
Universidade Federal do Triângulo Mineiro – UFTM. Docente do Programa de Pós-Graduação em Atenção à Saúde - UFTM. Pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Trabalho, Participação Social e Saúde (NETRAS)
Ivania Garavello, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Curso de Fisioterapia, Laboratório Integrado de Tecnologia Assistiva (LITA)
Professora Adjunta do Departamento de Fisioterapia Aplicada. Pesquisadora do Laboratório Integrado de Tecnologia Assistiva. Curso de Fisioterapia. Universidade Federal do Triângulo Mineiro – UFTM
Alessandra Cavalcanti, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Instituto de Ciências da Saúde, Departamento de Terapia Ocupacional
Graduada em Terapia Ocupacional pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG (1998), com especialização em Reabilitação do Membro Superior pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais (FCMMG) em 2001, especialização em Tecnologia Assistiva pela FCMMG em 2005, e especialização em Docência na Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em 2015. Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) em 2006 e Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP) em 2016. Atualmente é Professora Adjunta I do Departamento de Terapia Ocupacional do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM. Tem experiência na área de reabilitação física (neuropediatria), terapia da mão e tecnologia assistiva, atuando nos seguintes temas: equipamentos de autoajuda, dispositivos ortóticos, adequação postural em cadeira de rodas e acessibilidade
Publicado
2017-06-08
Como Citar
Biffi, R., Aramaki, A. L., Silva e Dutra, F., Garavello, I., & Cavalcanti, A. (2017). Levantamento dos problemas do dia a dia de um grupo de amputados e dos dispositivos de auxílio que utilizam. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 28(1), 46-53. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v28i1p46-53
Seção
Artigo Original