Confiabilidade e Validade do World Health Organization Disability Assessment Schedule para Pessoas com Obesidade Mórbida

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v30i2p94-101

Palavras-chave:

Estudos de validação, Confiabilidade e validade, Condições de saúde, Obesidade m´robida

Resumo

Objetivo: Realizar o estudo da confiabilidade e validade do World Health Organization Disability Assessment Schedule (WHODAS 2.0) para aferição da funcionalidade em pessoas com obesidade mórbida. Procedimentos metodológicos: Estudo metodológico, com 60 adultos entre 18 e 59 anos de idade, diagnosticados com obesidade mórbida. Os instrumentos utilizados foram: Entrevista Inicial, versão de 36 itens do WHODAS 2.0, Escala Curta de Qualidade de Vida (WHOQOL – BREF), Teste de Caminhada de Seis Minutos (TC6’) e a Lista de identificação de Papéis Ocupacionais. Resultados: A idade média foi de 41,25 anos. Os testes psicométricos mostraram consistência interna com alfa de Cronbach total de 0,93. O teste re-teste apresentou boa e excelente confiabilidade com Coeficiente de Correlação Intraclasse variando de 0,67 a 0,81. Já a validade de critério convergente e divergente, obteve correlação moderada com a maioria dos domínios do WHOQOL–BREF, relação divergente entre o WHODAS 2.0 e o TC6’ e correlação forte entre o domínio Atividades Escolares e de Trabalho do WHODAS 2.0 com o papel de Trabalhador da Lista de identificação de Papéis Ocupacionais. Conclusão: O Estudo evidenciou que o WHODAS 2.0 apresenta propriedades psicométricas adequadas para o uso em pessoas com obesidade mórbida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kátia Ariana Borges, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Trabalho desenvolvido como parte integrante da dissertação de mestrado intitulada: “Validade e confiabilidade do World Health Organization Disability Assessment Schedule (Whodas 2.0) para pessoas com obesidade mórbida”, desenvolvida pela aluna Kátia Ariana Borges, orientada pelo Prof. Dr. Shamyr Sulyvan de Castro no Programa de Pós-Graduação de Atenção à Saúde da Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, MG. Apoio: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Brasil (CAPES) – Código de Financiamento 001. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação strictu sensu em Ciências da Saúde, Universidade Federal do Triângulo Mineiro – UFTM,

Luana Foroni Andrade, Universidade Federal de São Paulo

Professora Mestre do Departamento Saúde, Educação e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo - Campus Baixada Santista – UNIFESP, Santos, SP.

Leidiane Mota de Oliveira Chagas, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Doutoranda Programa de Pós-Graduação strictu sensu em Atenção à Saúde, Universidade Federal do Triângulo Mineiro – UFTM, Uberaba, MG.

Maria de Fátima Borges, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)

Professora Doutora do Departamento de Medicina da Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM, Uberaba, MG. 

Shamyr Sulyvan de Castro, Universidade Federal do Ceará

Professor Doutor do Departamento de Fisioterapia Universidade Federal do Ceará - UFC, Fortaleza, CE. 

Referências

Nascimento Santos H, Lima JMS, Souza MFC. Estudocomparativo da evolução nutricional de pacientes candidatos à cirurgia bariátrica assistidos pelo Sistema Único de Saúde e pela Rede Suplementar de Saúde. Cienc Saude Coletiva. 2014;19(5):1359-65. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232014195.04232013.

Jagielski AC, Brown A, Hosseini-Araghi M, Thomas GN, Taheri S. The association between adiposity, mental wellbeing, and quality of life in extreme obesity. PloS One. 2014;9(3):e92859. doi: https://doi.org/10.1371/journal.pone.0092859.

Sampaio RF, Luz MT. Funcionalidade e incapacidade humana: explorando o escopo da classificação internacional da Organização Mundial da Saúde. Cad Saude Publica. 2009;25(3):475-83. doi: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2009000300002.

Castro SS, Leite CF. Translation and cross-cultural adaptation of the World Health Organization Disability Assessment Schedule-WHODAS 2.0. Fisioter Pesqui. 2017;24(4):385-91. doi: https://doi.org/10.1590/1809-2950/17118724042017

Garin BO, Ayuso-Mateos JL, Almansa J, et al. Validation of the “World Health Organization Disability Assessment Schedule, WHODAS-2” in patients with chronic diseases. Health Qual Life Outcomes. 2010;8(51):1-15. doi: https://doi.org/10.1186/1477-7525-8-51.

Castro SS, Leite CF. Avaliação de saúde e deficiência: manual do WHO Disability Assessment Schedule (WHODAS 2.0). Tradução de Shamyr Sulyvan Castro, Camila Ferreira Leite. Brasília: Organização Mundial da Saúde; 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/274954713_Avaliacao_de_Saude_e_Deficiencia_Manual_do_WHO_Disability_Assessment_Schedule_WHODAS_20.

Castro SS, Castaneda L, Araújo ES, Buchalla CM. Aferição de funcionalidade em inquéritos de saúde no Brasil: discussão sobre instrumentos baseados na Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). Rev Bras Epidemiol. 2016;19(3):679-87. doi: https://doi.org/10.1590/1980-5497201600030018.

Dantas RAS. Adaptação cultural e validação do Questionário de Senso de Coerência de Antonovsky em uma amostra de pacientes cardíacos brasileiros [Tese]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo; 2007. Disponível em: http://www.uc.pt/en/fmuc/phdhs/Courses/HealthandDevelopment/LIVRE-DOCA_NCIA_ROSANA_APARECIDA_SPADOTI_DANTAS_1_.pdf.

Britto RR, Sousa LAP. Teste de caminhada de seis minutos: uma normatização brasileira. Fisioter Mov. 2006;19(4):49-54. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/fisio/article/view/18789.

Fleck MP, Louzada S, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G, Santos L, et al. Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida “WHOQOL-bref”. Rev Saude Publica. 2000;34(2):178–83. doi: https://doi.org/10.1590/S0034-89102000000200012.

Cordeiro JJR. Validação da lista de identificação de papéis ocupacionais em pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) no Brasil [dissertação]. São Paulo: Escola Paulista de Medicina. Universidade Federal de São Paulo, 2005. Disponível em: http://livros01.livrosgratis.com.br/cp052560.pdf.

Üstün TB, et al. Measuring health and disability: manual for WHO disability assessment schedule WHODAS 2.0. Malta: World Health Organization; 2010. Available from: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/43974/1/9789241547598_eng.pdf.

Bland JM, Altman DG. Statistics notes: Cronbach’s alpha. BMJ. 1997;314:572. Available from: http://www.bmj.com/content/bmj/314/7080/572.full.pdf.

Figueiredo Filho D, Silva Júnior J. Desvendando os mistérios do coeficiente de correlação de Pearson (r)*. Rev Política Hoje. 2009;18(1):115-46. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/politicahoje/article/view/3852/3156.

Dancey CP, Reidy J. Estatística sem matemática para psicologia. 5a ed. Porto Alegre: Penso; 2013.

Derman EW, et al. Healthy lifestyle interventions in general practice: part 16: lifestyle and fibromyalgia. S Afr Fam Pract. 2011;53(6):511-5. doi: https://doi.org/10.1080/20786204.2011.10874144.

Derman EW, DeVon HA, Block ME, Moyle-Wright P, Ernst DM, Hayden SJ, Lazzara DJ, Savoy SM, Kostas-Polston E. A psychometric toolbox for testing validity and reliability. J Nurs Scholarsh. 2007;39(2):155-64. doi: https://doi.org/10.1111/j.1547-5069.2007.00161.x.

Sirtori A, Brunani A, Villa V, et al. Obesity is a marker of reduction in QoL and disability. Sci World J. 2012:6. doi: https://doi.org/10.1100/2012/167520.

Lee YJ, Moon KH, Choi JH, Cho MJ, Shin SH, Heo Y. Validation of the Korean translation of obesity-related problems scale assessing the quality of life in obese Korean. J Korean Surg Soc. 2013;84(3):140-53. doi: https://doi.org/10.4174/jkss.2013.84.3.140.

Polit DF, Beck CT, Hungler BP. Fundamentos de pesquisa em enfermagem: avaliação de evidências para a prática da enfermagem. 7a ed. Porto Alegre: Artmed; 2011. p.669.

Xenouli G, Xenoulis K, Sarafis P, Niakas D, Alexopoulos EC. Validation of the World Health Organization Disability Assessment Schedule (WHO-DAS II) in Greek and its added value to the Short Form 36 (SF-36) in a sample of people with or without disabilities. Disabil Health J. 2016;9(3):518-23. doi: https://doi.org/10.1016/j.dhjo.2016.01.009.

Abedzadeh–Kalahroudi M, Razi E, Sehat M, Asadi-Lari M. Psychometric properties of the World Health Organization Disability Assessment Schedule II-12 item (WHODAS II) in trauma patients. Injury. 2016;47(5):1104-8. doi: https://doi.org/10.1016/j.injury.2015.11.046.

Chiu T-Y, Yen CF, Chou CH, et al. Development of traditional Chinese version of World Health Organization

Disability Assessment Schedule 2.0 36--item (WHODAS 2.0) in Taiwan: validity and reliability analyses. Rev Dev Disabil. 2014;35(11):2812-20. doi: https://doi.org/10.1016/j.ridd.2014.07.009.

Gontijo PL, Lima TP, Costa TR, Reis EP, Cardoso FPF, Cavalcanti Neto FF. Correlação da espirometria com o teste de caminhada de seis minutos em eutróficos e obesos. Rev Assoc Med Bras. 2011;57(4):387-93. doi: https://doi.org/10.1590/S0104-42302011000400010.

Papalia DE, Feldman RD. Desenvolvimento humano. 12a ed. São Paulo: MacGraw Hill;Artmed; 2013. p.739.

Downloads

Publicado

2019-08-27

Como Citar

Borges, K. A., Andrade, L. F., Chagas, L. M. de O., Borges, M. de F., & Castro, S. S. de. (2019). Confiabilidade e Validade do World Health Organization Disability Assessment Schedule para Pessoas com Obesidade Mórbida. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 30(2), 94-101. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v30i2p94-101

Edição

Seção

Artigo Original