Qualidade de vida, estresse e desempenho ocupacional de mães cuidadoras de crianças e adolescentes autistas

  • Ingrid Ioost Estanieski Universidade Federal de Pelotas
  • Nicole Ruas Guarany Universidade Federal de Pelotas
Palavras-chave: Qualidade de vida, Estresse psicológico, Análise e desempenho de tarefas, Transtorno autístico, Cuidadores/psicologia, Mães/psicologia, Autocuidado/psicologia, Atividades humanas/psicologia, Terapia ocupacional.

Resumo

O objetivo deste estudo é avaliar a qualidade de vida, estresse e o desempenho ocupacional de mães cuidadores de crianças e adolescentes com diagnóstico de autismo. Para a pesquisa, foram utilizados quatro instrumentos: WHOQOL-Bref, a Escala de Estresse Percebido, a Medida Canadense de Desempenho Ocupacional e um questionário criado pela pesquisadora contendo dados socioeconômicos e sobre a criança/adolescente. Os dados do estudo sugerem que existe correlação entre as variáveis e que as mães cuidadoras possuem menor qualidade de vida, altos níveis de estresse e desempenho ocupacional baixo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ingrid Ioost Estanieski, Universidade Federal de Pelotas
Terapeuta Ocupacional, bacharel pela Univesidade Federal de Viçosa.
Nicole Ruas Guarany, Universidade Federal de Pelotas
Terapeuta ocupacional. Professora assistente 1 do Departamento de Terapia Ocupacional da Universidade Federal de Viçosa.
Publicado
2015-09-04
Como Citar
Estanieski, I., & Guarany, N. (2015). Qualidade de vida, estresse e desempenho ocupacional de mães cuidadoras de crianças e adolescentes autistas. Revista De Terapia Ocupacional Da Universidade De São Paulo, 26(2), 194-200. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v26i2p194-200
Seção
Artigo Original