Foco e Escopo

A Revista Signos do Consumo, sediada no Departamento de Relações Públicas Propaganda e Turismo da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, surge a partir da iniciativa de parte do corpo docente da Escola de Comunicações e Artes da USP, especializado nos estudos da publicidade e da propaganda, relações públicas e nos fenômenos do mercado e do consumo, que acumula um histórico de mais 40 anos na produção de conhecimento nesta área da comunicação, sendo responsável também por boa parte da formação de pesquisadores mestres e doutores em atuação em várias Instituições de Ensino Superior em âmbito nacional, o que coloca a ECA/USP em um cenário de reconhecido mérito nacional e internacional, principalmente no contexto latino-americano.

A partir disso, entende-se que a publicação eletrônica em pauta, configura-se como uma resposta e uma proposta arrojada, encabeçada pela Escola de Comunicações e Artes, que considera a carência de periódicos especializados na área de propaganda e consumo. Dessa forma, a Revista Signos do Consumo da ECA/USP chega em um momento mais que oportuno. Seu lançamento tem como missão criar um espaço de intercâmbio de conhecimentos em rede, por meio de artigos científicos e resenhas de livros, para a comunidade científica nacional e internacional interassada em divulgar os resultados de suas pesquisas, ensaios e reflexões referentes aos estudos da área de Comunicação que tenham como objeto de investigação a publicidade, a Propaganda e os fenômenos do consumo.

Dessa maneira, na expectativa de ampliar sem preconceitos as reflexões e discussões de pesquisas sobre a comunicação midiática da publicidade, da propaganda, das relações públicas e dos estudos sobre efeitos do consumo nas culturas contemporâneas, a Revista Signos do Consumo busca abrir novos horizontes de diálogo entre os investigadores do Brasil e de outros países em suas edições semestrais.

Esta publicação, que conta com o apoio do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo da ECA/USP e da Associação de Apoio a Arte e Comunicação (ARCO), pretende-se como um espaço de divulgação, que trata sobre os fenômenos midiáticos da publicidade e propaganda, relações públicas bem como suas conseqüências no consumo e na vida sociocultural contemporânea, em seu verdadeiro estatuto complexo e interdisciplinar, buscando trazer contribuições teórico-metodológicas a partir destes objetos, ao campo epistêmico híbrido das Ciências da Comunicação.

Idiomas dos artigos para publicação: Português, Espanhol e Inglês

ISSN: 1984-5057

Processo de Avaliação pelos Pares

I. Apreciação pelo Conselho Editorial

Os trabalhos enviados serão inicialmente apreciados pelo Conselho Editorial, que avalia a pertinência da submissão em relação ao escopo e às normas da revista. Em seguida, os trabalhos então aprovados são encaminhados, em sistema de avaliação cega (sem referência à autoria), para avaliação de dois pareceristas externos (Referees). 

II. Do trabalho dos membros do Conselho Técnico-Científico e dos Referees

Os professores e pesquisadores da Signos do Consumo, que compõem o seu Conselho Técnico-Científico, bem como o corpo de Referees exercerão essa atividade de forma voluntária, não remunerada, respeitando as normas para publicação da Revista. Os membros do Conselho Técnico-Científico e os Referees analisarão no máximo dois artigos por ano. 

A Revista Signos do Consumo conta com um grupo de Referees formados por professores doutores de várias outras universidades no Brasil e no exterior. Os artigos submetidos à avaliação serão encaminhados para dois avaliadores pertencentes ao Conselho Técnico-Científico e/ou aos Referees que terão até 30 dias para avaliar. Os Referees serão convidados pelo Comitê Editorial e deverão preencher uma ficha cadastral contendo informações sobre suas áreas de pesquisa e interesses. A ficha de avaliação será homologada pelo Comitê Editorial da Revista Signos do Consumo.

III. Processo de avaliação dos artigos

A Signos do Consumo realiza um processo de avaliação de todos os artigos recebidos (peer-review) para publicação. Ao chegarem, os artigos são salvos numa pasta com identificação numérica e, nesse momento, é feita uma cópia anônima. Esta cópia é que será enviada aos avaliadores. Caso sejam aprovados na pré-avaliação do comitê editorial, os artigos são encaminhados para dois avaliadores sem a identificação dos autores e instituições (double blind review). Nos casos de controvérsias entre as avaliações dos pareceristas, a decisão final é realizada pelo Conselho Editorial. Os autores serão notificados da aceitação ou recusa dos seus artigos. Em caso de aceite de trabalhos que necessitem de modificações pontuais, o Conselho Editorial entrará em contato com o autor, devendo o trabalho ser reformulado no prazo máximo de trinta dias. Os nomes dos autores somente serão revelados quando o artigo for publicado. 

IV. Prazo de avaliação-publicação

O processo todo tem duração média de seis meses, variando conforme a quantidade de artigos enviados no período e a área em questão.

V. Taxa de rejeição

No ano de 2018, a taxa de rejeição de trabalhos foi de 28%.

Periodicidade

Semestral.

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

 

Política de ética e plagiarismo

 Este periódico segue as recomendações do Committee on Publication Ethics (COPE) e os códigos de ética habituais para revistas científicas, de modo a garantir a integridade acadêmica no relacionamento entre autores, avaliadores e editores. Para tanto, esses devem comprometer-se com as seguintes exigências:

Autor(es):

- Autores são responsáveis ​​pelos trabalhos submetidos à Revista e devem respeitar os padrões éticos em pesquisa e divulgação científica, tal como creditar propriamente por meio de hierarquização de autoria por ordem de contribuição todos os pesquisadores que colaboraram significativamente para a elaboração do trabalho submetido;

- Estudos que envolvam pesquisa com seres humanos devem ser antes avaliados por um comitê de ética e a aprovação deve ser formalmente apresentada no artigo.

- Conflitos de interesse de quaisquer tipos (pessoais, comerciais, políticos, acadêmicos ou financeiros) devem ser claramente declarados aos Editores na submissão dos textos e em nota de rodapé, bem como todos os apoios financeiros para desenvolvimento do estudo;

- Publicações de versões anteriores do trabalho devem ser indicadas em nota de rodapé;

- Autores devem divulgar e citar corretamente todas as referências e fontes para elaboração do texto e estar comprometidos com a precisão dos dados apresentados.

 Revisores:

- No processo de revisão por pares, as conclusões emitidas no parecer devem ser objetivas e não apresentar conflitos de interesse. Quaisquer conflitos relevantes devem ser notificados aos editores;

- A avaliação do manuscrito é confidencial e esse não pode ser copiado ou citado pelo parecerista antes de publicação formal;

- Os revisores solicitados devem prover respostas rápidas, de forma precisa, cortês e imparcial. Se não estiver disponível para realizar uma avaliação, o revisor deve informar os editores imediatamente.

- Caso suspeitem de uma má conduta, tais como plágio, falsificação de dados, trabalho já enviado a outras publicações, conflitos de interesse etc., revisores devem notificar os editores.

- Os revisores devem sugerir ao autor trabalhos relevantes para a investigação que não tenham sido citados e possam contribuir no aperfeiçoamento do manuscrito.

Editores:

- As submissões são avaliadas por software antiplágio. Em caso de identificação de plágio, os editores devem solicitar esclarecimentos do autor. A revista não publicará texto com plágio confirmado;

- Revisores são escolhidos a partir de sua especialidade e conhecimento na área do trabalho submetido, buscando-se evitar quaisquer tipos de conflitos de interesse que comprometam a avaliação do trabalho;

- Serão investigados todos os casos possíveis de má conduta notificados por revisores ou leitores, que podem indicar suas suspeitas diretamente ao e-mail da revista. Nos casos graves de violação da ética, os editores buscarão consultoria externa;

- Caso seja observada a veracidade de uma denúncia, o Comitê Editorial adotará as medidas necessárias, desde a correção ou exclusão do documento em casos mais simples, ou uma carta formal ao diretor da instituição patrocinadora do autor em casos de maior gravidade.

 

Indexação

A revista Signos do Consumo integra as seguintes bases de indexadores e diretórios de referências nacionais e internacionais:

Redalyc - Red de Revistas Científicas

DOAJ - Directory of Open Access Journals 

LATINDEX – Sistema Regional de Informação Online para Revistas da América Latina, Caribe, Espanha e Portugal

LatinREV - Red Latinoamericana de Revistas

Portal de Periódicos - CAPES – Ministério da Educação

 

Além de estar avaliada por sua qualidade de produção intelectual na seguinte plataforma:

Sistema Qualis - CAPES – Ministério da Educação

 

Fontes de Apoio

Signos do Consumo não cobra pelo processamento de artigos.