A cultura da memória e suas interfaces com a comunicação e o consumo: um estudo sobre a marca Granado

  • Mayara Luma Assmar Correia Maia Lobato Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-SP)
Palavras-chave: cultura da memória, consumo, Granado, simbolismo, afetividade

Resumo

Neste artigo, pretende-se fazer uma análise da presença da cultura da memória nas sociedades capitalistas do século XXI, por meio de sua ressonância no universo do consumo da perfumaria Granado. Por meio das reflexões de Huyssen, Nora, Nunes, Kopytoff e outros, estuda-se a priorização do estilo retrô na ambientação das lojas, nos rótulos e embalagens e nas fórmulas dos produtos da marca brasileira, constatando a valorização da memória e seus componentes simbólico-afetivos para a venda de produtos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mayara Luma Assmar Correia Maia Lobato, Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-SP)
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas de Consumo da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-SP). Mestre em Comunicação pela Faculdade Cásper Líbero (2012). Jornalista graduada pela Universidade da Amazônia (2009). Professora dos cursos de Comunicação Social do FIAM-FAAM - Centro Universitário (São Paulo), pertencente ao Complexo Educacional FMU-FIAM-FAAM. Autora do livro "Revistas femininas e espetáculo: Imagem, consumo e representação do universo feminino nos discursos de Nova e Vogue" (2014). Experiências profissionais nas áreas de jornalismo impresso (revistas), comunicação corporativa e assessoria de imprensa. Interesse pelas áreas de estudos editoriais e de gênero, teorias da comunicação, história da imprensa, imprensa feminina e estudos sobre espetáculo, pós-modernidade e socialidades contemporâneas.
Publicado
2016-07-27