Fulla

a boneca muçulmana. A formação da personalidade de meninas islâmicas através do ato de brincar

  • Carolina Boari Caraciola Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Fulla, Marca, Publicidade, Criança, Islã

Resumo

Este artigo analisará a influência da religião islâmica na formação da personalidade infantil. Enquanto a boneca Barbie representa tudo o que uma menina ocidental supostamente quer ser, em relação a comportamento e padrões de beleza, a boneca Fulla caracteriza a jovem muçulmana, com traços árabes, roupas que cobrem a totalidade do corpo, um véu que esconde seus cabelos, tapete para rezar, além de um livro de orações. Por meio da análise semiótica da boneca Fulla e de suas principais manifestações, fica evidente que a constituição da marca, suas expressividades e posicionamentos refletem o ethos islâmico. Mais do que uma boneca ou uma marca, Fulla representa o contexto cultural no qual a menina, público consumidor do produto, está inserida, reforçando os códigos religiosos e de conduta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Boari Caraciola, Universidade de São Paulo

Pós-doutora em Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes (ECA/USP). Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica (PUC/SP). Mestre em Educação, Arte e História da Cultura, pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Graduada em Propaganda e Marketing (ESPM) e em Direito (FMU). Professora da Universidade Paulista (Unip).

Publicado
2019-07-31