Entre Viena e Apipucos: uma leitura da correspondência de Carpeaux e Gilberto Freyre

  • Silvana Moreli Vicente Dias Universidade Veiga de Almeida

Resumo

No ano de 1939, em fuga da ascensão nazista na Europa, Carpeaux (então Karpfen) escolhe o Brasil como destino para construir uma nova vida. É no contexto da chegada ao país, em momento de adaptação intercultural, que, por meio de correspondência pessoal, contata o cosmopolita-provinciano Gilberto Freyre, o qual, por sua vez, gozava de considerável prestígio. Constrói-se, então, uma rede de relações nas décadas de 1940 e 1950 que contribuiria para a inserção de Carpeaux na vida intelectual e para a definição de um conteúdo crítico então inovador, em um momento de grande polarização ideológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvana Moreli Vicente Dias, Universidade Veiga de Almeida

É mestre e doutora pela Universidade de São Paulo. Fez pesquisa de pós-doutorado na Università degli Studi di Roma “La Sapienza”, no Instituto de Estudos Brasileiros e na Université Sorbonne Nouvelle/Paris 3. É professora da Universidade Veiga de Almeida e autora de Cartas provincianas: correspondência entre Gilberto Freyre e Manuel Bandeira (Global, 2017).32bandeira, Manuel. Crônicas da província do Brasil. Organização, posfácio e notas de Júlio Castañon Guimarães. São Paulo: Cosac Naify, 2006, p. 11.

Publicado
2020-04-01
Como Citar
Dias, S. (2020). Entre Viena e Apipucos: uma leitura da correspondência de Carpeaux e Gilberto Freyre. Teresa, 1(20), 165-190. https://doi.org/10.11606/issn.2447-8997.teresa.2020.153631
Seção
Retratos e leituras