Scanlation e o poder do leitor-autor na tradução de mangás

Autores

  • Sabrina Moura Aragão Universidade de São Paulo Universidade Estadual de Londrina. Departamento de Letras Estrangeiras Modernas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v27i0p75-113

Palavras-chave:

Scanlation, mangá, tradução de histórias em quadrinhos

Resumo

O presente trabalho propõe uma reflexão inicial acerca da scanlation, prática tradutória exercida por fãs de mangá de forma não profissional. Em se tratando de uma atividade motivada por interesses pessoais ou coletivos de grupos de leitores que se inserem em um contexto específico, interessa-nos observar as características e estratégias utilizadas em tais traduções e no que elas se diferenciam em relação às traduções publicadas pelas editoras. Para tanto, analisaremos o décimo volume do mangá Fairy Tail, de Hiro Mashima, com as respectivas scanlations feitas por fãs brasileiros e as traduções publicadas pela editora JBC. Atentaremos, ainda, para questões de identidade em tradução, tendo em vista os aspectos próprios dos mangás e seu público leitor.       

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sabrina Moura Aragão, Universidade de São Paulo Universidade Estadual de Londrina. Departamento de Letras Estrangeiras Modernas

É graduada e licenciada em Letras Português – Francês pela Universidade de São Paulo. Em 2012 obteve o título de Mestre em Letras pela mesma instituição junto ao programa de Estudos Linguísticos, Literários e Tradutológicos em Francês com a dissertação Imagem e texto em tradução: uma análise do processo tradutório nas histórias em quadrinhos.  Em 2014 iniciou sua pesquisa em nível de Doutorado, ainda em andamento, no programa de Estudos da Tradução do Departamento de Letras Modernas, também na USP, com a tese O conhecimento do outro por meio da imagem e da tradução. Atualmente, é professora assistente no curso de Bacharelado em Língua e Cultura Francesas da Universidade Estadual de Londrina. Atua na pesquisa sobre a questão da imagem no processo tradutório, notadamente nas histórias em quadrinhos. Em 2015 participou do congresso Colloque du 60e anniversaire de Meta 1955-2015, durante o qual teve a oportunidade de publicar seu trabalho “L’image marquée par la culture: une refléxion sur les marqueurs culturels dans la bande dessinée” no volume 60 da revista Meta. Em 2014 publicou “Ils sont fous ces traducteurs: considerações sobre a tradução do humor em Astérix” no periódico In-Traduções. Também é autora, juntamente com sua orientadora, Profa Dra. Adriana Zavaglia, do artigo “Histórias em quadrinhos: imagem e texto em tradução” publicado pela Tradterm em 2010.

Downloads

Publicado

2016-10-04

Como Citar

Aragão, S. M. (2016). Scanlation e o poder do leitor-autor na tradução de mangás. Tradterm, 27, 75-113. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v27i0p75-113