A Declaração Universal Dos Direitos Do Homem –Uma questão de Língua, de Direito e de Tradução

Autores

  • Cláudia Ozon Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFP), Curitiba, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v30i30p25-41

Palavras-chave:

Declaração Universal de Direitos Humanos, língua estrangeira, direito, tradução

Resumo

Este artigo trata das versões em língua francesa, inglesa e portuguesa da Declaração Universal de Direitos do Homem (DUDH) de 1948, que constam nas páginas da web da ONU. Os termos empregados para qualificar o homemna Declaração(homme, everyonee “todo ser humano”) não são exatamente equivalentes de uma língua para a outra. As diferenças relativas à forma foram analisadas sob a ótica da Língua, do Direito, da História e da Tradução, bem como os aspectos históricos de sua elaboração, na tentativa de se encontrar uma resposta que fundamente as escolhas feitas no texto da Declaração, considerando também o tratamento dessas divergências na aplicação da regra nos diferentes sistemas jurídicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudia Ozon, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFP), Curitiba, Brasil

Docente na Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Pós-doutoranda no programa de Direito Internacional na Universidade de São Paulo (USP).

Downloads

Publicado

2017-12-20

Como Citar

Ozon, C. (2017). A Declaração Universal Dos Direitos Do Homem –Uma questão de Língua, de Direito e de Tradução. Tradterm, 30, 25-41. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v30i30p25-41

Edição

Seção

Artigos