Relações de “poder” e legendagem: revisitando o conceito de “poder” como substantivo autoritário para verbo de ação no processo tradutório

Autores

  • Fernanda Boito Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá, Brasil.
  • Liliam Marins Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v30i30p87-101

Palavras-chave:

Tradução, “Poder”, Resistência, Legenda.

Resumo

As discussões desenvolvidas a partir do texto traduzido demonstram ser especialmente férteis na empreitada cujo foco está na problematização da linguagem, na diferença, bem como nas discussões acerca das relações de poder e resistência (Rajagopalan 2007; Coracini 2010). Nosso objetivo é, assim, discutir as relações de poder e resistência da/pela/na tradução para legendas. Para tanto, recorre-se a um recorte das legendas do documentário Lixo Extraordinário (2009), de Vik Muniz, a fim de sinalizar como a presença do outro se materializa nas escolhas tradutórias e transforma-se em um ato de revelação de alteridades. Olhar para a tradução pelas lentes da diferença pode possibilitar uma revisitação do substantivo “poder”, enquanto representativo de uma autoridade absoluta de um centro sobre uma periferia, para o verbo “poder”, que representa capacidade e a oportunidade de realizar algo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Boito, Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá, Brasil.

Professora Assistente do Bacharelado em Tradução da Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Liliam Marins, Universidade Estadual de Maringá (UEM), Maringá, Brasil.

Professora Adjunta do Bacharelado em Tradução da Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Downloads

Publicado

2017-12-20

Como Citar

Boito, F., & Marins, L. (2017). Relações de “poder” e legendagem: revisitando o conceito de “poder” como substantivo autoritário para verbo de ação no processo tradutório. Tradterm, 30, 87-101. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v30i30p87-101

Edição

Seção

Artigos