Casos de polissemia e escolhas de tradução do conto O pequeno robot perdido, de Isaac Asimov

Autores

  • Fernanda Libério Pereira Universidade de São Paulo
  • Lenita Maria Rimoli Pisetta Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v35i0p25-48

Palavras-chave:

Polissemia, Tradução, Ficção Científica, Isaac Asimov

Resumo

Neste trabalho analisaremos a tradução de termos polissêmicos do conto de Ficção Científica Little lost robot (1947), de Isaac Asimov, publicado no Brasil em 1958 sob o título O pequeno robot perdido. Consideraremos a hipótese de que o autor utiliza a polissemia como ferramenta criativa e que os jogos polissêmicos adquirem importância no próprio enredo, devendo ser mantidos na tradução. A fim de contextualizar a análise, discutiremos a conceituação de polissemia e os desafios enfrentados em seu processo de tradução, além de comentar a relação das obras de Asimov com a investigação da competência comunicativa e do desenvolvimento cognitivo de humanos e robôs. Finalmente, abordaremos as possíveis motivações para as escolhas tradutórias empregadas na versão brasileira do conto, avaliando se o texto foi capaz de reproduzir a multiplicidade semântica explorada na obra original.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Libério Pereira, Universidade de São Paulo

Mestre pelo Programa de Pós-graduação em Estudos da Tradução da Universidade de São Paulo.

Lenita Maria Rimoli Pisetta, Universidade de São Paulo

Professora em níveis de graduação e pós-graduação do Departamento de Letras Modernas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

Referências

ASIMOV, I. Fact Catches Up With Fiction. The New York Times. New York. November 19, 1961. Disponível em: http://www.nytimes.com/books/97/03/23/lifetimes/asi-v-fact.html. Acesso em: 08 de março, 2018.

ASIMOV, I. I, robot. Spectra, 2004.

BERNARDINO, C. C. J. A polissemia da preposição alemã über: um estudo com base na Semântica Cognitiva. 2012. Dissertação (Mestrado em Língua e Literatura Alemã) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8144/tde-08012013-123037 Acesso em: 26 de fevereiro, 2018.

DELABASTITA, D. There's a Double Tongue: An investigation into the translation of Shakespeare's wordplay, with special reference to Hamlet. Rodopi, 1993.

SYKES, J. B. The Concise Oxford Dictionary of Current English. 7th ed., Clarendon Press, 1982.

MALONE, J. L. Source language polysemy and problems of translation. Babel, v. 25, n. 4, 1979, p. 207-209.

MURPHY, R.; WOODS, D. D. Beyond Asimov: the three laws of responsible robotics. IEEE Intelligent Systems, v. 24, n. 4, 2009.

OLIVEIRA, M. G. A. Dar: o verbo mais polissêmico da língua portuguesa. 1989. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1989. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/75520. Acesso em: 26 de fevereiro, 2018.

RABADÁN, R. Equivalencia y traducción. Problemática de la equivalencia, 1991.

SILVA, F.; BRITO, W. (Org.). Maravilhas da Ficção Científica. Ed Cultrix, 1958.

ULLMANN, S. Semântica: uma introdução à ciência do significado. Trad. MATEUS, J. A. O. Lisboa: Fundação Calouste Gulbekian. 1964.

VAERENBERGH, L. V. Polysemy and synonymy: Their management in Translation Studies dictionaries and in translator training. A case study. In: GAMBIER, Y.; DOORSLAER, L. V. (ed.). The Metalanguage of Translation. Amsterdam: John Benjamins Publishing Company, 2009.

Downloads

Publicado

2020-06-03

Como Citar

Pereira, F. L., & Pisetta, L. M. R. (2020). Casos de polissemia e escolhas de tradução do conto O pequeno robot perdido, de Isaac Asimov. Tradterm, 35, 25-48. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v35i0p25-48

Edição

Seção

Artigos