Estudo comparativo sobre a evolução semântica dos termos mariage e casamento nas legislações francesa e brasileira do século XVI ao XIX

Autores

  • Beatriz Curti Contessoto Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) http://orcid.org/0000-0002-5497-5589
  • Lidia Almeida Barros Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v35i0p102-116

Palavras-chave:

Mariage, Casamento, Terminologia Diacrônica

Resumo

Neste trabalho, objetivamos verificar, à luz de uma perspectiva diacrônico-comparada, a evolução semântica dos termos mariage e casamento no domínio do Direito a partir do momento em que ocorreu a primeira regulamentação sobre os casamentos oficiais na França (1563) e no Brasil (1827) até o aparecimento inédito do conceito de casamento civil e laico nas legislações francesa e brasileira em 1791 e 1890, respectivamente. Além disso, pretendemos relacionar essa evolução aos aspectos socioculturais e históricos de cada país. Para tanto, fundamentamo-nos nos pressupostos teóricos e metodológicos da Terminologia (Cabré 1999; Barros 2004), mais especificamente nos da Terminologia Diacrônica (Dury 1999; Bortolato 2013), e em estudos das áreas do Direito da França e do Brasil, e de História da França e do Brasil. Assim, esperamos contribuir com o desenvolvimento dos estudos diacrônicos em Terminologia, que são raros no Brasil, bem como ampliar o conhecimento linguístico e cultural sobre a matéria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Curti Contessoto, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)

Atualmente, desenvolve pesquisa em nível de Doutorado (2015-2019) com bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), junto ao Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, pela Universidade Estadual Paulista (UNESP) em São José do Rio Preto, São Paulo. Em seu doutorado, realizou estágio de pesquisa na Université Sorbonne Nouvelle - Paris III, na França, com Bolsa de Estágio de Pesquisa no Exterior (BEPE - FAPESP). Como pesquisadora, atua na área de Linguística, com ênfase em Terminologia Mono/Bilíngue e Terminologia Diacrônica. Suas pesquisas abordam, principalmente, questões de equivalência português-francês, aspectos socioculturais e históricos que subjazem aos termos (sobretudo do domínio jurídico) e tradução juramentada. Como docente, atua em cursos de extensão (2012-2016) e nos cursos de graduação em Licenciatura em Letras e Bacharelado em Letras com Habilitação de Tradutor (2016-Atual) na mesma instituição em que desenvolve seu doutorado. Além disso, colabora, desde 2013, com o "Centre de Ressources et Information en Français" (CRIF), fundado pela UNESP e pelo Consulado da França de São Paulo.

Lidia Almeida Barros, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp)

Possui Graduação em Letras (Português) pela Universidade de São Paulo (1986), Mestrado em Línguas Românicas (Português-Francês) pela Universidade Lumière Lyon 2, França (1992), e Doutorado em Ciências da Linguagem por essa mesma Universidade (1997), Pós-doutorado pela Universidade do Porto (2002) e pelo Istituto per il Lessico Intellettuale Europeo e Storia delle Idee, ILIESI, Università La Sapienza -Roma,Itália (2015-2016). Realizou estágio de pesquisa na Université de Lyon2, França (2011-2012) e estudou Semiótica com o Prof. Dr. Umberto Eco na Universidade de Bolonha, Itália (1988-89). Atualmente é Professor Titular aposentada pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho-UNESP de São José do Rio Preto (SP). Tem experiência na área de ensino de Português para nativos e estrangeiros, ensino de Cultura Brasileira para estrangeiros, ensino de Prática de Tradução e Linguística. Possui forte inserção internacional, tendo lecionado e realizado pesquisas na Universidade de Lyon 2 (1990-1997) e na UCD-University College of Dublin, Irlanda (2017-2018). Orientou alunos de Doutorado em co-tutela com a Universidade de Paris 3 - Sorbonne Nouvelle e com a Universidade Nova de Lisboa. Seu livro "Curso Básico de Terminologia" é utilizado em aulas de Terminologia em universidades brasileiras, portuguesas e referência para algumas universidades francesas. Ainda se encontra vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Unesp de São José do Rio Preto. Atualmente encontra-se inscrita no curso de Especialização em Direitos Humanos, pela Unione Forense per la tutela dei diritti umani, de Roma.

Referências

ALVES, I. M. A renovação lexical nos domínios de especialidade. Ciência e Cultura. Campinas, v. 58, n. 2, 2006, p. 32-34. Disponível em: <http://cienciaecultura.bvs.br/pdf/cic/v58n2/a13v58n2.pdf>. Acesso em: 10 mar. 2016.

ALVES, I. M. Neologia e implicações textuais. Anais do VI Congresso Internacional da ABRALIN. João Pessoa: Idéia, 2009, pp. 1821-1825. Disponível em: <http://www.leffa.pro.br/tela4/Textos/Textos/Anais/ABRALIN_2009/PDF/Ieda%20Maria%20Alves%20-%20ok.pdf>. Acesso em: 05 nov. 2019.

BARBIN, J. SÉPARATION DE CORPS. Encyclopædia Universalis. Boulogne-Billancourt, S/d. Disponível em: <http://www.universalis.fr/encyclopedie/separation-de-corps/>. Acesso em: 21 nov. 2018.

BARIPEDIA. Décret Tametsi – 1563, online, 2015. Disponível em: <https://baripedia.org/wiki/D%C3%A9cret_Tametsi_-_1563>. Acesso em 11 Fev. 2019.

BARROS, L. A. Aspects de la productivité lexicale dans le domaine des espaces protégés du Brésil : la variation orthographique, morphologique et syntaxique. Acta Semiotica et Linguistica, São Paulo, v. 7, 1998, p. 45-86.

BARROS, L. A. Curso Básico de Terminologia. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

BARROS, L. A. Conhecimentos de terminologia geral para a prática tradutória. São José do Rio Preto: NovaGraf, 2007.

BORTOLATO, C. P. Uma proposta de tradução da terminologia jurídica do Ancien Régime presente na peça Les Plaideurs de Jean Racine. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8146/tde-18112013-131108/publico/2013_CarolinaPoppiBortolato_VCorr.pdf>. Acesso em: 27 de Abr. 2016.

BRASIL. Constituição Política do Império do Brazil, 1824. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao24.htm>. Acesso em: 2 Fev. 2016.

BRASIL. Decreto de 3 de novembro de 1827, 1827. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret_sn/1824-1899/decreto-38408-3-novembro-1827-566712-publicacaooriginal-90232-pl.html>. Acesso em: 24 abr. 2016.

BRASIL. Decreto Nº 1.144, de 11 de setembro de 1861, 1861. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-1144-11-setembro-1861-555517-publicacaooriginal-74767-pl.html>. Acesso em: 24 Abr. 2016.

BRASIL. Decreto Nº 181, de 24 de janeiro de 1890: Marechal Deodoro da Fonseca promulga a lei sobre o casamento civil, 1890. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1851-1899/D181.htm>. Acesso em: 10 Abr. 2015.

CABRÉ, M. T. La terminología: representación y comunicación. Elementos para una teoría de base comunicativa y otros artículos. Barcelona: IULA, 1999.

CONCEIÇÃO, M. C. Terminologie et transmission du savoir: (re)construction(s) de concepts. In: DELAVIGNE, V.; BOUVERET, M. (Org.), Sémantique des termes spécialisés. Rouen: Presses Universitaires de Rouen, 1999. p. 33-42.

COULON, H. Le divorce et la séparation du corps. Paris: Marchal et Billard, 1890.

CURTI, B.; BARROS, L. A. Um estudo da evolução semântica do termo “casamento” no domínio jurídico brasileiro à luz da Terminologia Diacrônica. In: ALVES, I. M.; GANANÇA, J. H. L. (Org.), Os estudos lexicais em diferentes perspectivas. São Paulo: FFLCH/USP, v. 7, 2018. p. 82-96.

CURTI-CONTESSOTO, B.; BARROS, L. A. Termos denominativos dos conceitos de rompimento e de dissolução do casamento na história do Brasil. Revista Digital Internacional de Lexicología, Lexicografía y Terminología (ReDILLeT), Córdoba, v. 1, n.1, 2018, p. 72-85.

CURTI, B. F.; BARROS, L. A terminologia referente ao local de expedição das certidões de casamento francesas: um olhar sobre seus aspectos socioculturais. Domínios de Lingu@Gem, Uberlândia, v. 10, n. 3, 2016, p. 834-850.

D’ALMERAS, H. Le mariage chez tous les peuples. Paris: Schleicher, 1903.

DURY, P. Étude comparative et diachronique des concepts ecosystem et écosystème. Meta : journal des traducteurs / Meta: Translators' Journal, Montréal, v. 44, n. 3, 1999, p. 485-499.

DURY, P. Que montre l’étude de la variation d’une terminologie dans le temps. Quelques pistes de réflexion appliquées au domaine médical. Debate Terminológico, Ivoti, n. 9, 2013, p. 2-10. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/riterm/article/view/37168/24030>. Acesso em: 19 set. 2019.

FRANÇA. Édit de Versailles,7 novembre, 1787. Disponível em: <http://huguenotsweb.free.fr/histoire/edit1787.htm>. Acesso em: 23 de janeiro de 2019.

FRANÇA. Constitution de 1791. Paris : Conseil Constitutionnel, 1791. Disponível em: <https://www.conseil-constitutionnel.fr/les-constitutions-dans-l-histoire/constitution-de-1791>. Acesso em: 5 Nov. 2018.

FRANÇA. Loi du 20 Septembre 1792 sur les causes, le mode et les effets du divorce. In: Population & Société. Paris: INED, 1989.

HOUDAILLE, J. ; BOLOGNE, J.-C. Histoire du mariage en Occident. Population, n. 4/-5, 1999, pp. 820-821. Disponível em: <http://www.persee.fr/web/revues/home/prescript/article/pop_0032-4663_1999_num_54_4_7050>. Acesso em: 16 Ago. 2016.

LAROUSSE. Encyclopédie Larousse en ligne : Concile de Trente. [Online]. 2015. Disponível em: <http://www.larousse.fr/encyclopedie/divers/concile_de_Trente/147379>. Acesso em: 9 set. 2015.

MØLLER, B. A la recherche d’une terminochronie. Meta: journal des traducteurs / Meta: Translators' Journal, Montréal , v. 43, n. 3, 1998, p. 426-438. Disponível em: <https://www.erudit.org/revue/meta/1998/v43/n3/003655ar.pdf>. Acesso em: 10 mar. 2016.

OBEID, R. I. Notas sobre as origens do casamento civil no Brasil. JusNavigandi [Online], 2013. Disponível em: <https://jus.com.br/artigos/23332>. Acesso em: 19 jun. 2017.

SILVA, P. J. DA. A Igreja Católica e as relações políticas com o Estado na Era Vargas. Anais dos Simpósios da ABHR [Online], 2012. Disponível em: <http://www.abhr.org.br/plura/ojs/index.php/anais/article/viewFile/456/391>. Acesso em: 1 abr. 2016.

SOARES, O. DE M. Casamento civil – Decreto n. 181 de 14 de janeiro de 1890: commentado e annotado. Rio de Janeiro: H. Garnier, 1895.

VILLARD, M. Documents : L’Edit de Tolérance vu par un parlementaire aixois. Revue Provence historique, v. 38, n. 154 , 1988, p. 465-468.

Downloads

Publicado

2020-06-23

Como Citar

Contessoto, B. C., & Barros, L. A. (2020). Estudo comparativo sobre a evolução semântica dos termos mariage e casamento nas legislações francesa e brasileira do século XVI ao XIX. Tradterm, 35, 102-116. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v35i0p102-116

Edição

Seção

Artigos