Traduções do feminino em Persuasion, de Jane Austen

Autores

  • Marcela Aparecida Silvestre Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Jonathan Gustavo Pessoa Cavalcanti de Lima Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v36i0p5-22

Palavras-chave:

Estudos Descritivos da Tradução, Literatura de autoria feminina, Crítica Literária Feminista

Resumo

Estudos recentes indicam que o conceito de tradução tem sido repensado no sentido de se atribuir ao ato tradutório uma dimensão artística e subjetiva. Com isso, a questão da obrigação de fidelidade ao texto original, que, por muito tempo, foi central nas discussões sobre a boa qualidade das traduções, é colocada em suspeição. Os Estudos da Tradução manifestam um interesse crescente sobre o papel cultural do texto traduzido e da figura do tradutor na sociedade. A associação dos Estudos da Tradução com a Crítica Literária Feminista busca detectar e comparar como os tradutores lidam com as ocorrências presentes no texto-fonte e a sua recriação no texto traduzido. Com base nos aspectos teóricos apontados, a presente pesquisa propõe uma análise descritiva e comparativa entre a obra Persuasion (1818), da escritora inglesa Jane Austen, e duas traduções para o português brasileiro, produzidas por Celina Portocarrero (L&PM, 2017) e Roberto Leal Ferreira (Martin Claret, 2012), observando a importância da interferência do tradutor e de suas concepções socioculturais no processo de produção de sentido dos textos traduzidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jonathan Gustavo Pessoa Cavalcanti de Lima, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Graduando em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Referências

ARROJO, R. Feminist, “orgasmic” theories of translation and their contradictions. TradTerm, São Paulo, v. 2, 1995, p. 67-75.
AUSTEN, J. Persuasion. London: Arcturus, 2016.
AUSTEN, J. Persuasão. Trad. Celina Portocarrero. Porto Alegre: L&PM, 2017.
AUSTEN, J. Persuasão. Trad. Roberto Leal Ferreira. São Paulo: Martin Claret, 2012.
BRITTO, P. H. A tradução literária. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.
CALDAS, C. R. Crítica literária feminista. In: SOUZA, E. M.; PINTO, J. C. M. (Org.). 2., 1987, Belo Horizonte. 1o e 2o Simpósio de literatura comparada. Belo Horizonte: UFMG, 1987.
GENTZLER, E. Teorias Contemporâneas da Tradução. São Paulo: Madras, 2009.
LEFEVERE, A. Tradução, reescrita e manipulação da fama literária. Trad. Claudia Matos Seligmann. Bauru: Edusc, 2007.
LOBO, L. A dimensão histórica do feminismo atual. In: RAMALHO, C. (org.). Literatura e feminismo: propostas teóricas e reflexões críticas. Rio de Janeiro: ELO, 1999, p. 41-50.
MUNDAY, J. Introducing Translation Studies: theories and applications. London, New York: Routledge, 2010.
PYM, A. Explorando as teorias da tradução. Trad. Rodrigo Borges de Faveri, Claudia Borges de Faveri e Juliana Steil. São Paulo: Perspectiva, 2017.
SIMON, S. Gender in Translation: cultural identity and politics of transmission. London: Taylor & Francis e-Library, 1996.
ZINANI, C. J. A. Literatura e gênero: a construção da identidade feminina. Caxias do Sul: Educs, 2006.

Downloads

Publicado

2020-09-23

Como Citar

Silvestre, M. A., & Lima, J. G. P. C. de. (2020). Traduções do feminino em Persuasion, de Jane Austen. Tradterm, 36, 5-22. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v36i0p5-22

Edição

Seção

Artigos