Traduzindo clássicos: Gefunden, de Goethe – o trabalho do Barão de Paranapiacaba e sugestão de nova tradução

Autores

  • Mateus Duque Erthal Universidade de São Paulo - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2011.36755

Palavras-chave:

Tradução poética (alemão-português), Goethe, Fidelidade versus liberdade na tradução, Processo tradutório.

Resumo

Neste trabalho pretende-se uma breve discussão a respeito das possibilidades e limitações da tradução  poética e, principalmente, de como a tradução pode ser encarada como processo, desviando para este polo a atenção e importância geralmente dadas ao produto final. O exercício feito com a tradução do poema  Gefunden, de Goethe, deve ser encarado como tal, ou seja, como um exercício de tradução, realizado em ambiente universitário, relativamente controlado, em que se prioriza a reflexão acadêmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mateus Duque Erthal, Universidade de São Paulo - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Graduando em Letras na Universidade de São Paulo (USP), habilitações Português e Alemão. É, além disso, engenheiro. Interessa-se pelas possibilidades de criação no ato tradutório e de importância/relevância do tradutor na construção de sentido de uma obra.

Downloads

Publicado

2011-12-04

Como Citar

Erthal, M. D. (2011). Traduzindo clássicos: Gefunden, de Goethe – o trabalho do Barão de Paranapiacaba e sugestão de nova tradução. Tradterm, 18, 68-88. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2011.36755

Edição

Seção

Artigos