Aspectos semântico-lexicais dos tabus linguísticos em atlas linguísticos estaduais

Autores

  • Laura de Almeida Universidade Estadual de Santa Cruz

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2011.36768

Palavras-chave:

Terminologia, Dialetologia, Tabu Linguístico, Palavra tabu, Atlas linguístico, Variante linguística.

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo abordar os tabus linguísticos presentes nos atlas Atlas Prévio dos Falares Baianos (APFB),  Atlas Linguístico de Sergipe I (ALSE I), Atlas Linguístico da Paraíba (Alpa). Selecionamos os temas referentes ao item II- Homem do Questionário Semântico-Lexical (QSL) do Alib, mais especificamente aos ciclos da vida, ou seja, variantes linguísticas que ocorreram em resposta à seguinte questão: “as mulheres perdem sangue todos os meses. Como se chama isso? (menstruação). Inicialmente, apresentaremos o tabu em questão conforme a visão de Freud quando ele discute entre tabus temporários e permanentes. Estudaremos como esse tabu Linguístico é visto por teóricos como GUÉRIOS (1979) quando este ressalta  o significado que o sangue tem em todos os povos. Além disso, traçaremos um paralelo entre “pureza e perigo” que é abordado pela antropóloga Mary Douglas. Sob a luz dos teóricos mencionados, buscaremos traçar  um percurso que permita estabelecer um confronto de todos os mapas apresentados e as conclusões que podemos tirar de caráter geral. Dessa forma, visamos propor uma tipologia dos tabus existentes nos atlas linguísticos mencionados. Elaboramos uma classificação com base em GUÉRIOS(1979), seguida de uma análise das lexias e suas variantes. Com este estudo pretendemos traçar um mapeamento da ocorrência deste fenômeno Linguístico nos atlas linguísticos mencionados, mostrando a cultura e a visão de mundo próprias dessas localidades. Busca também contribuir para um estudo mais aprofundado do material apresentado nos atlas linguísticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laura de Almeida, Universidade Estadual de Santa Cruz

Doutora em Linguística pela Universidade de São Paulo (2008). Mestre em Letras pela USP (1992). Atualmente Professora Assistente da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) em Ilhéus (BA) no curso de Letras. Projeto de Pesquisa em andamento sobre o Black  English. Atua principalmente nos seguintes temas: ensino de língua estrangeira, terminologia e tradução.

Downloads

Publicado

2011-12-04

Como Citar

Almeida, L. de. (2011). Aspectos semântico-lexicais dos tabus linguísticos em atlas linguísticos estaduais. Tradterm, 18, 361-377. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2011.36768

Edição

Seção

Artigos