Patrono da amizade: as traduções de obras brasileiras da Alfred A. Knopf em meados do século XX

Autores

  • Marly D'Amaro Blasques Tooge Universidade de São Paulo - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2010.40285

Palavras-chave:

Tradução, política, diplomacia, Panamericanismo, democracia racial.

Resumo

As décadas de 1940 e 1960 foram muito importantes para a história da literatura brasileira traduzida para o inglês. O número de traduções de obras brasileiras para o idioma inglês cresceu com o incentivo à atividade. No primeiro período, o mundo testemunhou as trágicas consequências da Segunda Guerra. Ocorreram então diversas negociações comerciais entre o Brasil e os Estados Unidos, mas Vargas só declarou seu apoio aos Estados Unidos em 1942. Projetos diplomáticos criados na época incluíam programas de tradução que, indiretamente, ajudaram a divulgar as ideias de “democracia racial” de Gilberto Freyre. Na década de 1960, a visibilidade trazida pela Revolução Cubana levou à criação de novos programas de tradução para a América Latina, que desta vez transformaram Jorge Amado em um bestseller americano. Este artigo apresenta o papel desempenhado pelo editor Alfred A. Knopf que agiu como um “embaixador informal” no processo acima descrito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-12-22

Como Citar

Tooge, M. D. B. (2010). Patrono da amizade: as traduções de obras brasileiras da Alfred A. Knopf em meados do século XX. Tradterm, 17, 101-126. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2010.40285