Pilar do comunismo ou escritor exótico? A recepção dos romances de Jorge Amado na Polônia

Autores

  • Jaroslaw Jezdzikowski Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2010.40286

Palavras-chave:

Jorge Amado na Polônia, sistema literário polonês, traduções na Polônia, traduções durante stalinismo, traduções de Jorge Amado.

Resumo

Este artigo analisa as traduções dos romances de Jorge Amado na Polônia. Amado teve uma carreira notável em Polônia, tornando-se o escritor brasileiro mais traduzido no país. Sua obra começou a ser publicada na Polônia em 1949 e, até o fim do período do realismo socialista, em meados dos anos cinquenta, a obra do escritor baiano foi editada e reeditada com regularidade. As traduções da obra amadiana deixaram de ser editadas em 1958, retornando ao sistema literário polonês em 1968. No período seguinte, até 1993, as traduções passam a surgir com menos regularidade. O artigo examina a posição da obra amadiana dentro do sistema literário polonês, o uso político na parte do regime comunista da obra de Amado, e as próprias traduções em si.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-12-22

Como Citar

Jezdzikowski, J. (2010). Pilar do comunismo ou escritor exótico? A recepção dos romances de Jorge Amado na Polônia. Tradterm, 17, 127-156. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2010.40286