A noção de equivalência quando se traduz marcas gramaticais: o caso de mas e suas traduções para o francês e o inglês

Autores

  • Marion Celli Universidade de São Paulo - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2010.46323

Palavras-chave:

Estudos da tradução, Equivalência, Lexicografia bilíngue, Linguística de corpus, MAS.

Resumo

Este estudo, baseado em corpora paralelos, concentra-se nas relações entre os marcadores MAS (em português), MAIS (em francês) e BUT (em inglês) (Aubert, 1998) e no conceito de equivalência. Tendo em vista a história da tradução, muito tem sido dito sobre essa noção, que, direta ou indiretamente, tem sido usada de diferentes formas pelos estudiosos da área. Este artigo chama a atenção para a subjacente noção matemática de equivalência normalmente presente na lexicografia bilíngue tradicional, que, em geral, exclui a definição e a contextualização dos verbetes, em especial em dicionários português-francês e português-inglês. Os resultados da pesquisa mostraram que as unidades gramaticais observadas apresentam particularidades que variam de acordo com seu contexto de uso, o que dá origem a um número variado de correspondentes e especificidades tradutórias, diferentemente do que é oferecido em dicionários bilíngues para MAS.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marion Celli, Universidade de São Paulo - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.

Mestranda do Programa de Estudos Linguísticos, Literários e Tradutológicos da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo.

Downloads

Publicado

2010-06-18

Como Citar

Celli, M. (2010). A noção de equivalência quando se traduz marcas gramaticais: o caso de mas e suas traduções para o francês e o inglês. Tradterm, 16, 313-341. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2010.46323

Edição

Seção

Artigos