Em busca de um modelo de acessibilidade audiovisual para cegos no Brasil: um projeto piloto

Autores

  • Eliana Paes Cardoso Franco Universidade Federal da Bahia.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2007.47473

Palavras-chave:

Tradução audiovisual, audiodescrição, acessibilidade, cegos, deficientes visuais.

Resumo

Apesar da Lei no. 10.098/2000 ter assegurado aos portadores de deficiência auditiva e visual o livre acesso aos meios de comunicação, foi apenas em 2004 que o Decreto no. 5.296 determinou a implantação de três sistemas que garantem o amplo acesso desses cidadãos ao audiovisual. Contudo, só em março de 2006, após mais duas modificações, este decreto começou a ser amplamente discutido. A questão da acessibilidade audiovisual não é simples para um país em desenvolvimento, porque implica em alto investimento em tecnologia e em recursos humanos. Em se tratando deste último, vale perguntar como a formação de profissionais em acessibilidade audiovisual se dará. Este artigo revela o esforço pioneiro de um grupo de pesquisa em tradução audiovisual da Universidade Federal da Bahia para introduzir a questão da acessibilidade na universidade, especialmente no que se refere aos cegos e deficientes visuais. O artigo relata os resultados da primeira fase de um projeto piloto (etapa Salvador), o qual busca elaborar um modelo de audiodescrição que vá de encontro às necessidades e preferências do público deficiente visual brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-18

Como Citar

Franco, E. P. C. (2007). Em busca de um modelo de acessibilidade audiovisual para cegos no Brasil: um projeto piloto. Tradterm, 13, 171-185. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2007.47473

Edição

Seção

Tradução Intralingual e Intersemiótica - Audiodescrição