Reflexos e refrações da alteridade na literatura brasileira traduzida (1) – as versões de sagarana para o francês e para o norueguês

Autores

  • Francis Henrik Aubert Universidade de São Paulo - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.
  • Adriana Zavaglia Universidade de São Paulo - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2003.49084

Palavras-chave:

Literatura brasileira, procedimentos de tradução.

Resumo

Este trabalho constitui um produto inicial de um projeto mais abrangente. As fortunas da literatura brasileira traduzida podem ser vistas como correlacionadas – ainda que não exclusivamente condicionadas – às opções tradutórias feitas, conforme constatadas por uma comparação pari passu entre os textos fonte e alvo, à luz dos procedimentos de tradução utilizados. De especial interesse é o tratamento dado aos marcadores lingüísticos da especificidade cultural. Aqui, apresentam-se os resultados preliminares de uma dessas comparações – com base nas traduções francesa e norueguesa de contos extraídos de Sagarana, de Guimarães Rosa – e delineiam-se as próximas etapas a serem percorridas no âmbito do projeto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2003-12-18

Como Citar

Aubert, F. H., & Zavaglia, A. (2003). Reflexos e refrações da alteridade na literatura brasileira traduzida (1) – as versões de sagarana para o francês e para o norueguês. Tradterm, 9, 173-188. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.tradterm.2003.49084

Edição

Seção

Terminologia