O O Grupo Globo e as restrições à autonomia da rádio CBN

Autores

  • Patrícia Maurício Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro
  • Creso Soares Junior Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.159092

Palavras-chave:

Radiojornalismo, Autonomia, Grupo Globo, Privatização do conhecimento

Resumo

A Central Brasileira de Notícias (CBN), em seus primeiros dez anos de vida, saiu de uma relativa autonomia editorial para a tutela do Grupo Globo. A organização empresarial percebeu a influência que a emissora passou a ter na política e na economia do país e decidiu adequá-la à política empresarial do grupo. O lucro foi outro fator preponderante para as mudanças na emissora nesse período. Para este artigo foram feitas entrevistas com profissionais que trabalharam durante esses anos na emissora em cargos de comando. Além disso, foi utilizada bibliografia para o embasamento teórico, com destaque para César Bolaño e Valério Brittos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Maurício, Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro

Doutora em Comunicação e Cultura pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (2011), Mestre (2001) e Graduada em Comunicação (1985) pela mesma Universidade. É professora e pesquisadora do Departamento de Comunicação Social da PUC-Rio desde 1998.

   

Creso Soares Junior, Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro

Mestrando em Comunicação Social pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da PUC Rio. Graduado em Comunicação Social pela ECO-UFRJ, é jornalista há mais de 20 anos com passagens pelas Rádio CBN e Globo. Professor na PUC Rio desde 2006. 

Referências

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1986.

BOLAÑO, C.; BRITTOS, V. A televisão brasileira na era digital: exclusão, esfera pública e movimentos estruturantes. São Paulo: Paulus, 2007.

BREED, W. O controle social da redação. In: TRAQUINA, N. (Org.). Jornalismo: questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Vega, 1993. p. 152-166.

BRITTOS, V.; GASTALDO, E. Mídia, poder e controle social. Alceu, Rio de Janeiro, v. 7, n. 13, p. 121-133, 2006. Disponível em: https://bit.ly/3eqnKYC. Acesso em: 29 jun. 2018.

BUCCI, E. A rádio que toca o Brasil. In: TAVARES, M. Manual de redação da CBN. São Paulo: Globo, 2011. p. 11-17.

CAMPOS, R. De patinho feio a cisne para anunciantes. In: TAVARES, M.; FARIA, G. (Org.). CBN, a rádio que toca notícia: a história da rede e as principais coberturas, linguagem e estilo do all news, jornalismo político, econômico e esportivo, a construção da marca, o modelo de negócios. Rio de Janeiro: Editora Senac Rio, 2006. p. 56-61.

FERRARETTO, L. A. Rádio: o veículo, a história e a técnica. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 2001.

GASPARI, E. A ditadura escancarada. São Paulo. Companhia das Letras. 2002.

KUNCZIK, Michael. Conceitos de jornalismo. São Paulo: Edusp, 2002.

LEITÃO, M. Economia instantânea. In: TAVARES, M.; FARIA, G. (Org.). CBN, a rádio que toca notícia: a história da rede e as principais coberturas, linguagem e estilo do all news, jornalismo político, econômico e esportivo, a construção da marca, o modelo de negócios. Rio de Janeiro: Editora Senac Rio, 2006. p. 90-101.

MARINHO, J. R. Rádio como exercício de cidadania. In: TAVARES, M.; FARIA, G. (Org.). CBN a rádio que toca notícia: a história da rede e as principais coberturas, linguagem e estilo do all news, jornalismo político, econômico e esportivo, a construção da marca, o modelo de negócios. Rio de Janeiro: Editora Senac Rio, 2006. p. 14-18.

MEDITSCH, E. O rádio na era da informação: teoria e técnica do novo radiojornalismo. Florianópolis: Insular: Editora da UFSC, 2001.

SILVEIRA, M. (Org.). Manual de redação do Sistema Globo de Rádio. Rio de Janeiro: Globo, 1997.

SOLOSKI, J. O jornalismo e o profissionalismo: alguns constrangimentos no trabalho jornalístico. In: TRAQUINA, N. (Org.). Jornalismo: questões, teorias e “estórias”. Lisboa: Vega, 1993.

TAVARES, M. Manual de Redação da CBN. São Paulo: Globo, 2011.

TAVARES, M. Ingredientes de uma receita que deu certo. In: TAVARES, M.;

FARIA, G. (Org.). CBN, a rádio que toca notícia: a história da rede e as principais coberturas, linguagem e estilo do all news, jornalismo político, econômico e esportivo, a construção da marca, o modelo de negócios. Rio de Janeiro: Editora Senac Rio, 2006. p. 90-101.

TAVARES, M.; FARIA, G. (Org.). CBN, a rádio que toca notícia: a história da rede e as principais coberturas, linguagem e estilo do all news, jornalismo político, econômico e esportivo, a construção da marca, o modelo de negócios. Rio de Janeiro: Editora Senac Rio, 2006.

WOLF, M. O newsmaking: critérios de importância e noticiabilidade. In: WOLF, M. Teorias da comunicação. Lisboa: Presença, 2003. p. 177-252.

Downloads

Publicado

2020-07-16

Como Citar

MAURÍCIO, P.; SOARES JUNIOR, C. O O Grupo Globo e as restrições à autonomia da rádio CBN. RuMoRes, [S. l.], v. 14, n. 27, p. 306-323, 2020. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.159092. Disponível em: https://www.periodicos.usp.br/Rumores/article/view/159092. Acesso em: 25 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos