Maria Isaura Pereira de Queiroz, a socióloga que tentou decifrar o Brasil

  • Maria Christina Siqueira de Souza Campos Centro de Estudos Rurais e Urbanos - CERU

Resumo

Este texto, escrito em 1999, tentou apresentar a pessoa e a obra da socióloga Maria Isaura Pereira de Queiroz aos leitores alemães. No momento em que ocorreu seu falecimento – ocorrido em dezembro de 2018 -, pareceu-nos oportuno traduzi-lo e publicá-lo no Brasil, como uma forma de homenagem à nossa grande socióloga e fundadora do CERU – Centro de Estudos Rurais e Urbanos. Um fato de grande relevância em sua vida – a recepção, em setembro de 1998, das mãos do presidente da República Fernando Henrique Cardoso, a mais alta condecoração científica no Brasil, o prêmio Almirante Álvaro Alberto relativo ao ano de 1997 – distinguiu-a como a primeira representante das ciências sociais e, além disso, do sexo feminino a receber essa condecoração. Em 1998 Maria Isaura completou oitenta anos de vida, podendo olhar para o passado de sua carreira científica, que, já então, se distinguia tanto pelo desenvolvimento de numerosas pesquisas sociológicas empíricas como também pela formação de novas gerações no âmbito das ciências sociais, ao que Maria Isaura se dedicou com grande engajamento pessoal. O objetivo de suas pesquisas sempre permaneceu o mesmo, a saber, decifrar seu país sob um ponto de vista sociológico. Para isso não mediu esforços, tanto no sentido do desenvolvimento de pesquisas sociais sobre diferentes temas e em diversas regiões, como também para sua divulgação, o que ocorreu tanto por meio de suas numerosas publicações no Brasil, como em diversos outros países, entre os quais se distingue a França. Seus estudos e reflexões puderam se tornar conhecidos no exterior igualmente por meio de vários cursos ministrados em universidades estrangeiras. Na França completou-se sua formação, iniciada na Universidade de São Paulo, sob a orientação tanto de cientistas sociais brasileiros, como franceses. Sua contribuição para o aprofundamento da formação das novas gerações de sociólogos no Brasil pôde se efetivar mais particularmente a partir da criação do Centro de estudos Rurais e Urbanos (CERU), em 1964, no qual se distinguiu por um longo tempo, seja como presidente, seja como diretora de pesquisas. As primeiras áreas ou temas a que se dedicou são as seguintes: Sociologia Rural, Sociologia da Cultura Brasileira, Sociologia da Religião, estrutura social e política brasileira, e Sociologia do Conhecimento. Reflexões sobre o papel da metodologia e a forma como deve ser encarada no processo de investigação sociológica também são parte relevante de sua obra. Sobre cada um desses aspectos ocupa-se este estudo procurando salientar a posição tomada por Queiroz em relação a cada um. À medida que essa socióloga se preocupa em destacar a contribuição significativa dada por cientistas sociais brasileiros e estrangeiros para o desenvolvimento da Sociologia no Brasil, desempenha ela mesma um papel de destaque na história dessa ciência em nosso país. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Christina Siqueira de Souza Campos, Centro de Estudos Rurais e Urbanos - CERU

Professora associada aposentada da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (USP), Professora Emérita da USP e diretora de publicações do Centro de Estudos Rurais e Urbanos (NAP-CERU) da USP.

Publicado
2019-06-05
Como Citar
Campos, M. C. (2019). Maria Isaura Pereira de Queiroz, a socióloga que tentou decifrar o Brasil. Cadernos CERU, 30(1), 395-442. Recuperado de https://www.periodicos.usp.br/ceru/article/view/158718
Seção
Homenagem