A UNIVERSIDADE CONTEMPORÂNEA ENTRE DOIS CONSERVADORISMOS

Autores

  • Sylvia Gemignani Garcia Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Reforma organizacional da universidade. Sistemas de dominação. Capitalismo conexionista. Depressão.

Resumo

Este texto é a versão escrita de minha contribuição à mesa redonda intitulada “A educação no Brasil hoje”, realizada no 46º Encontro Nacional de Estudos Rurais e Urbanos do CERU, em homenagem ao centenário de Maria Isaura Pereira de Queiróz, ocorrido em junho de 2019. Ele articula certas análises de cunho sociológico para delinear o cenário político e cultural contemporâneo, no qual se enfrentam e cooperam entre si o conservadorismo progressista liberal, que há décadas promove a reforma organizacional da universidade, e o novo conservadorismo retrógrado da nova direita, com seus ataques à educação laica, ao pensamento crítico e à ciência. Detalhando alguns paradoxos da administração gestionária da produção e reprodução do conhecimento na universidade contemporânea, a reflexão relaciona as exigências de desempenho da visão conexionista dominante ao aumento do sofrimento mental entre estudantes universitários. Constrói-se, assim, uma leitura dos dois sistemas de dominação que se combinam na atualidade, ameaçando a continuidade histórica das instituições educacionais modernas e criando fortes obstáculos às perspectivas emancipatórias contra as quais se formaram.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sylvia Gemignani Garcia, Universidade de São Paulo

Professora do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP

Downloads

Publicado

2020-09-03

Como Citar

Garcia, S. G. (2020). A UNIVERSIDADE CONTEMPORÂNEA ENTRE DOIS CONSERVADORISMOS. Cadernos CERU, 31(1), 35-44. Recuperado de https://www.periodicos.usp.br/ceru/article/view/174483