História e Discurso: considerações entre linguagem e gestos de leitura para uma História da Ciência

  • Wanderson Rodrigues Morais Universidade Estadual de Campinas
  • Maria José Pereira Monteiro de Almeida Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Historiografia, práticas de leitura, discurso, ensino de ciências

Resumo

A História da Ciência se constituiu em um campo de tensões ocasionando uma dicotomia em sua abordagem metodológica por diferentes grupos, como as ciências sociais e as ciências naturais, tratando-se de uma discussão ainda atual e sem consenso entre os envolvidos. Alguns historiadores como Keith Jenkins e Régine Robin dedicaram-se a refletir sobre a natureza da História, a historiografia e possíveis contribuições de outros campos, voltando-se para prática dos gestos de leitura e relações entre linguagem e discurso. Assim, temos como objetivo deste trabalho compreender a natureza dos discursos históricos empregados pela prática da História da Ciência que podem sinalizar perspectivas de uso e finalidade para outros campos, como o Ensino de Ciências, sobretudo com as possíveis interfaces ao campo de estudos da Linguagem referente aos processos de leitura (ou gestos). Partimos de um discurso histórico em Ecologia para considerações acerca das suas condições de produção e implicações no ensino, em que aspectos políticos e sociais formam uma malha de raízes não visíveis, como apontado por Antonio Videira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, M. J. P. M. Historicidade e Interdiscurso: pensando a educação em ciências na escola básica. Ciência & Educação, v. 10, n.3, p. 333-341, 2004.
CONEIN, B; COURTINE, J-J; GADET, F; MARANDIN, J-M; PÊCHEUX, M. Materialidades discursivas. Revisão técnica da tradução de Eni Orlandi e José Horta Nunes. Campinas: Editora da Unicamp, 2016.
GIL PÉREZ, D; MONTORO, I. F; ALÍS, J. C; CACHAPUZ, A; & PRAIA, J. Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência & Educação (Bauru), v. 7, n. 2, p. 125-153, 2001.
GLEASON, H. A. The individualistic concept of plant association. Bulletin of the Torrey Botanical Club, n.53, p.1-20, 1926.
JENKINS, K. A história repensada. São Paulo: Contexto, 2007.
LAUDAN, R. Histories of the sciences and their uses: a review of 1913. History of science, v. 31, p. 1-34, 1993.
ORLANDI, E. P. As histórias das leituras. Leitura: Teoria e Prática, Porto Alegre, Mercado Aberto, ano 3, n.3, 1984.
PÊCHEUX, M. Ler o arquivo hoje. Gestos de leitura: da história no discurso, v. 2, p. 55-66, 1994.
PIQUERAS, M. M. As contribuições de Henry Allan Gleason para a Ecologia, um estudo histórico: o desenvolvimento do conceito individualístico de associação de plantas (1917-1939). Dissertação (Mestrado em Ciências). Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2015.
ROBIN, R. Linguagem e ideologias. In: Langage et idéologies: le discours comme objet de l’Historie. Tradução de Fábio Ramos Barbosa Filho. Paris: Les Éditions Ouvrières, p.3-11, 1974.
______. História e Linguística. Tradução de Adélia Bolle e Miralda Pereira. 1977.
SAUSSURE, F. de. Curso de linguística geral (1916). Editora Cultrix, São Paulo, 2006.
VIDEIRA, A. A. P. Historiografia e história da ciência. Revista da Fundação Casa de Rui Barbosa, Ano 1, n.1, p.111-158, 2007.
Publicado
2019-09-10
Como Citar
Rodrigues Morais, W., & Pereira Monteiro de Almeida, M. (2019). História e Discurso: considerações entre linguagem e gestos de leitura para uma História da Ciência. Intelligere, (7), 11. https://doi.org/10.11606/issn.2447-9020.intelligere.2019.158375
Edição
Seção
Dossiê 2º Congresso de História da Ciência e da Técnica