Canção do Poeta do Século XVIII, de Heitor Villa-Lobos

apresentação de um manuscrito para canto e violão

  • Humberto Amorim Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Villa-Lobos, Canção do Poeta do Séc. XVIII, Canto e violão

Resumo

Entre as décadas de 1940 e 1950, Villa-Lobos concebeu três diferentes versões para Canção do Poeta do Século XVIII: canto e piano (1948), canto e orquestra (1959) e canto e violão (1953). Esta última estava dada como obra “não localizada” nas últimas duas edições do catálogo de obras do compositor publicado pelo Museu Villa-Lobos (1989; 2009). Com anotações do próprio Villa-Lobos na partitura, o artigo apresenta uma cópia manuscrita de Arminda Neves de Almeida (Mindinha), segunda esposa do compositor, com a indicação expressa de que se trata da “adaptação para canto e guitarra” feita “pelo autor”. Não obstante apresentar o documento, o texto objetiva realizar uma breve genealogia das três versões, suscitando manuscritos autógrafos, dedicatórias, estreias, programas, primeiras gravações, matérias de jornais e outras informações, além de explicitar os caminhos que levaram a transcrição para voz e violão ao extravio. Confrontada com os resultados disponíveis na bibliografia dedicada ao tema, a metodologia consistiu em levantamento e análise documental, resultando na reapresentação de uma versão tida como perdida há mais de três décadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Humberto Amorim, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor em Musicologia, Mestre em Práticas Interpretativas, possui ainda três graduações na área musical (Violão, Música Popular Brasileira/Arranjo e Licenciatura). Em 2014, tornou-se o primeiro brasileiro a receber bolsa integral da Fonds de Dotation Porosus para cursar o II Máster de Violão Clássico da Universidade de Alicante (ESP). Aos 27 anos, ingressou no corpo docente da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde leciona desde 2007. Publicou 02 livros pela Academia Brasileira de Música: Ricardo Tacuchian e o Violão (2014) e Heitor Villa-Lobos e o Violão (2009), este último esgotado e considerado pela crítica "a maior pesquisa já realizada sobre o assunto no Brasil" (Revista Violão Pro, 2009), "um estudo minucioso" (Revista Concerto, 2010) e "leitura obrigatória para quem quiser entender a obra do compositor para o instrumento" (Jornal da AV-Rio, 2010). Sua discografia inclui 01 Documentário-Musical (Céus de Rondônia/ FUNARTE-2012) e 01 DVD (Tacuchian por Humberto Amorim/ ABM-2015). Recebeu 07 premiações em concursos instrumentais e, dentre os editais nos quais foi laureado, destacam-se a Bolsa Interações Estéticas 2012 (FUNARTE) e a Bolsa de Pesquisador Residente da Fundação Biblioteca Nacional (PNAP-R 2015/FBN).

Referências

ALFONSO, Sandra Mara. O Violão, da marginalidade à academia: trajetória de Jodacil Damaceno. 2 ed. Uberlândia: EDUFU, 2017.

AMARAL, Euclides. Alguns aspectos da MPB. 2 ed. Rio de Janeiro: Esteio Editora, 2010.

AMORIM, Humberto. As partituras perdidas para violão de Villa-Lobos: descoberta do original de Distribuição de Flores. Cadernos do Colóquio, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, 2006, p. 1-13.

AMORIM, Humberto. Heitor Villa-Lobos: uma revisão bibliográfica e considerações sobre a produção violonística. Dissertação de Mestrado. Rio de Janeiro, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), 2007.

AMORIM, Humberto. Heitor Villa-Lobos e o Violão. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música, 2009.

BELCHIOR, Pedro. “Sou o maestro do mundo”: Heitor Villa-Lobos e a diplomacia musical brasileira (1923-1959). Tese (doutorado em história), Instituto de História, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2019.

CARVALHO, Hermínio Bello de. Villa-Lobos, uma conferência. Rio de Janeiro: Museu Villa-Lobos, 1963.

CARVALHO, Hermínio Bello de. O canto do pajé: Villa-Lobos e a música popular brasileira. Rio de Janeiro: Espaço e Tempo, 1988.

MORIN, Tiago Filipe Antunes. 12 Estudos para guitarra de Heitor Villa-Lobos: análise e edição comparativa. 191 p. Dissertação (mestrado em música), Departamento de Comunicação e Arte, Universidade de Aveiro (Portugal), Aveiro, 2017.

PEDRASSOLI JÚNIOR, Paulo. Tácito e explícito em Villa-Lobos: notação musical e performance das obras para violão solo. Tese (doutorado em música), Departamento de Comunicação e Arte, Universidade de Aveiro (Portugal), Aveiro, 2017.

PEREIRA, Marco. Heitor Villa-Lobos: sua obra para violão. Brasília: Musimed, 1984.

REIS, Lurian José Reis da Silva. A Suíte Popular Brasileira na trajetória de Villa-Lobos: ‘arte’, ‘povo’ e uma ‘suíte à brasileira’? 211 p. Dissertação (mestrado em música), Departamento de Artes, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2017a.

REIS, Lurian José Reis da Silva. Villa-Lobos e a música popular: uma suíte à brasileira? Vórtex, Curitiba, v. 5, n. 1, p. 1-22, abril, 2017b.

REIS, Lurian José Reis da Silva. Villa-Lobos: de pai para filho. Opus, Belo Horizonte, v. 23, n. 2, p. 116-130, 2017.

REIS, Lurian José Reis da Silva. Mazurca-Choro na trajetória de Villa-Lobos: lembrança e ressignificação. Vórtex, Curitiba, v. 4, n. 1, p. 1-22, maio, 2016.

SANTOS, Turíbio. Heitor Villa-Lobos e o violão. Rio de Janeiro: Museu Villa-Lobos/MEC, 1975.

SALINAS, Krishna. Os 12 Estudos para violão de Heitor Villa-Lobos. Revisão dos manuscritos autógrafos e análise comparativa de 3 interpretações integrais. Dissertação (mestrado em música), Escola de Música, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1993.

VILLA-LOBOS: SUA OBRA. 4 ed. Rio de Janeiro: Museu Villa-Lobos/ MinC/IBRAM, 2009.

VILLA-LOBOS: SUA OBRA. 3 ed. Rio de Janeiro: Museu Villa-Lobos, 1989.

VILLA-LOBOS: SUA OBRA. 2 ed. Rio de Janeiro: Museu Villa-Lobos, 1972.

VISCONTI, Ciro. Simetria nos estudos para violão de Villa-Lobos. São Paulo: Paco Editorial, 2016.

Periódicos

A NOITE, Homenagem a Villa Lobos, na A. B. I., Rio de Janeiro, Ed. 15689, 7 ago 1957a, 2º caderno, p. 4.

A NOITE, Música, Rio de Janeiro, Ed. 17072, 9 nov. 1962, p. 6.

BOLETIM DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE IMPRENSA, Dois aspectos da homenagem da A.B.I. a Vila-Lobos, Rio de Janeiro, Ed. 65, set. 1957, p. 8.

CORREIO DA MANHÃ, Música – Villa-Lobos na ABI, Rio de Janeiro, Ed. 19747, 10 ago 1957, 1º caderno, p. 13.

DIÁRIO CARIOCA, Concertos, Rio de Janeiro, Ed. 10627, 8 nov. 1962a, p. 8.

DIÁRIO CARIOCA, A Semana Villa-Lobos, Rio de Janeiro, Ed. 10627, 8 nov. 1962b, p. 9.

DIÁRIO DE NOTÍCIAS, Orquestra Sinfônica Brasileira, Rio de Janeiro, Ed. 12.265, 9 nov. 1962, Segunda Seção, p. 3.

DIÁRIO DE NOTÍCIAS, Modinhas inéditas, hoje, Rio de Janeiro, Ed. 15285, 24 ago. 1972, p 3.

DIÁRIO DE NOTÍCIAS, Rio de Janeiro, Ed. 15447, 2 mar. 1973, p, 3.

JORNAL DO BRASIL, Dos 12 aos 72 anos Vila-Lôbos [sic] compôs sua posteridade, Rio de Janeiro, Ed. 273, 22 nov. 1959a, 2º caderno, p. 12.

JORNAL DO BRASIL, Vila-Lôbos [sic] não parava de compor, compunha a jacto e morreu compondo, Rio de Janeiro, Ed. 273, 22 nov. 1959b, 2º caderno, p. 12.

JORNAL DO BRASIL, A música que vai aos bairros, Rio de Janeiro, Ed. 150, 17 set. 1972, Caderno B, p. 20.

JORNAL DO BRASIL, Música, Rio de Janeiro, Ed. 330, 21 mar. 1973a, Caderno B, p. 2.

JORNAL DO BRASIL, Música, Rio de Janeiro, Ed. 218, 12 nov. 1974a, Caderno B, p. 7.

JORNAL DO BRASIL, Música, Rio de Janeiro, Ed. 219, 13 nov. 1974b, Caderno B, p. 6.

JORNAL DO BRASIL, Vozes, violões e uma orquestra de jovens, Rio de Janeiro, Ed. 47, 25 mai. 1979, Caderno B, p. 4.

JORNAL DO COMMERCIO, Foto inédita de Villa-Lobos, Rio de Janeiro, Ed. 35, 11 nov. 1962, [Música], p. 3.

JORNAL DOS SPORTS, Rio tem concurso internacional de canto em novembro, Rio de Janeiro, Ed. 12990, 22 abril 1973, Segundo Tempo, p. 3.

TRIBUNA DA IMPRENSA, Rio de Janeiro, Ed. 4787, 18 out. 1963, Segundo Caderno, p. 3.

TRIBUNA DA IMPRENSA, Música, Rio de Janeiro, Ed. 2080, 21 ago. 1973, p. 10.

Publicado
2019-12-19
Como Citar
Amorim, H. (2019). Canção do Poeta do Século XVIII, de Heitor Villa-Lobos. Revista Música, 19(2), 116-144. https://doi.org/10.11606/rm.v19i2.162100