O conceito de comunidade discursiva e as convergências com a Terminologia

  • Márcia Ivo Braz Universidade Federal de Pernambuco
  • Severino Carlos da Silva Universidade de Pernambuco
Palavras-chave: Gêneros textuais, Terminologia, Comunidades discursivas

Resumo

Partindo do conceito de comunidade discursiva, desenvolvido por Swales (1990), incorporado nos estudos voltados para a Terminologia, Lexicografia e linguagens de especialidade, o objetivo deste trabalho é verificar a ocorrência do conceito da referida comunidade e sua influência em investigações de Terminologia. Para tanto, foi realizada uma pesquisa nas bases de dados internacionais Web of Science e Library & Information Science Abstracts (LISA) e nas bases de dados nacionais BDTD e BRAPCI, cujos resultados recuperados foram analisados individualmente. A análise dos artigos revelou que os elementos das comunidades discursivas, apontadas por Swales, correspondem às considerações tecidas pelos autores e são utilizados nos estudos terminológicos aqui relacionados. Nos trabalhos produzidos no Brasil, o autor é bastante relevante, sendo a base direta e indireta nas pesquisas; nos artigos internacionais, os conceitos se aproximam do ponto de vista de Swales, porém, este estudioso não é citado diretamente como referência. Dessa forma, desenvolve-se uma discussão relacionando as características de comunidade discursiva no que tange aos apontamentos encontrados nos artigos, teses e dissertações. Por fim, considera que o estudo das teorias conexas aos gêneros textuais e discursivos necessita compor a pauta das investigações voltadas à Terminologia, uma vez que o campo dos dicionários e ferramentas que representam os léxicos especializados são recortes de estruturas profissionais que compartilham consenso e objetivos comuns, assim como formas próprias de comunicação entre os pares (incluindo gêneros e léxico específicos), onde o domínio de conteúdo relevante e a experiência discursiva são fatores de diferenciação entre os próprios membros, sendo, portanto, as linguagens de especialidade uma das características das comunidades discursivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Ivo Braz, Universidade Federal de Pernambuco

Professora Assistente da Universidade Federal de Pernambuco. Doutoranda em Ciências da Linguagem (Universidade Católica de Pernambuco). Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Pernambuco.

Severino Carlos da Silva, Universidade de Pernambuco

Professor Assistente da Universidade de Pernambuco - UPE. Doutorando em Ciências da Linguagem (Universidade Católica de Pernambuco). Mestre em Letras pela Universidade Federal da Paraíba. Especialista em Metodologia do Ensino Superior pela Universidade de Pernambuco.

Referências

Referências

BAZERMAN, C. Gênero, agência e escrita. São Paulo: Cortez, 2006.

_______. Gêneros textuais, tipificação e interação.2. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

_______. Systems of genre and the enactment of social intentions. In: Freedman & Medway. Rethinking genre. London: Taylor &Francis, 1994. p. 79-101.

BHATHIA, V. K. Análise de gêneros hoje. Revista de Letras, Fortaleza, n. 23, v. 1/2, jan/dez. 2001. p. 102-115. Trad. Benedito G. Bezerra.

BIASI-RODRIGUES, B.; BEZERRA, B. G. Propósito comunicativo em análise de gêneros. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão – SC, v. 12, n. 1, p. 231-249, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ld/v12n1/v12n1a11. Acesso em: 18 fev. 2019.

CABRÉ, M. T. La terminologia hoy: concepciones, tendencias y aplicaciones. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 24, n. 3, 1995. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/567. Acesso em: 22 fev. 2019.

CARVALHO, N. M. A terminologia técnico-científica: aspectos linguísticos e metodológicos. Recife: EdUFPE, 1992.

CATUNDA, E. L. Um Estudo do Gênero Jurídico Acórdão. 2004. 121 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Departamento de Letras Vernáculas, Universidade Federal do Ceará, 2004.

DEVITT, A.; BASTIAN, H. Algumas ideias para ensinar novos gêneros a partir de velhos gêneros. In: DIONÍSIO, A. P.; CAVALCANTI, L. P. (Org.). Gêneros na linguística e na literatura: Charles Bazerman: 10 anos de incentivo à pesquisa no Brasil. Recife: Ed. Universitária da UFPE/Pipa Comunicação, 2015. p. 97-121.

HJØRLAND, B. Information seeking and subject representation: an activity-theoretical approach to Information Science. New York: Greenwood Press, 1997.

LARA, M. L. G. Informação, informatividade e linguística documentária: alguns paralelos com as reflexões de Hjorland e Capurro. DataGramaZero, João Pessoa, v. 9, n. 6, p. 00, 2008. Disponível em: http://basessibi.c3sl.ufpr.br/brapci/v/7544. Acesso em: 08 jan. 2019.

_______, M. L. G. Linguagem documentária e terminologia. Transinformação, Campinas, n. 16, p. 232-240, set./dez. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tinf/v16n3/03.pdf. Acesso em: 24 fev. 2019.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MILLER, C. R. Genre as social action. Quarterly Journal of Speech, v. 70,1984, p. 151-167. Disponível em: http://www4.ncsu.edu/~crmiller/Publications/MillerQJS84.pdf

MOTTA-ROTH, D. Análise crítica de gêneros: contribuições para o ensino e a pesquisa de linguagem. D.E.L.T.A. [online]. São Paulo, v. 24, n. 2, p. 341-383, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/delta/v24n2/v24n2a07.pdf Acesso em 12 dez. 2018.

ROJO, R. Gêneros do discurso e gêneros textuais: questões teóricas e aplicadas. In: MEURER, J. L.; BONINI, A.; MOTTA-ROTH, D. Gêneros: teorias, métodos, debates. São Paulo: Parábola, 2005. p.184-207.

SWALES, J. The Concept of Discourse Community. In: ______. Genre analysis: English in academic and research settings. Cambridge: Cambridge University Press, 1990. p. 21-32. Disponível em: https://moodle.csun.edu/pluginfile.php/3333572/mod_resource/content/2/swales_concept-of-discourse-community.pdf. Acesso em: 07 jul. 2018.

_______. The semiperiphery of academic writing: discourses, communities and practices (Book Review). English for Specific Purposes, V. 39, July 2015, p. 80-82. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/journal/08894906/39/supp/C. Acesso em: 09 jul. 2018.

SWALES, J.; FEAK, C. B. Academic Communications and the Graduate Student. Pedagogy, v.1, n. 1, p. 176-178, 2001.

VOGEL, M. J. M. A noção de estrutura linguística e de processo de estruturação e sua influência no conceito e na elaboração de linguagem documentária. 2007. 124 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, 2007.

Publicado
2019-11-14
Como Citar
Braz, M., & Silva, S. (2019). O conceito de comunidade discursiva e as convergências com a Terminologia. Tradterm, 34, 81-105. https://doi.org/10.11606/issn.2317-9511.v34i0p81-105
Seção
Artigos