Joaquim, Vazante e O nó do diabo

a herança da escravidão (re)vista pelo cinema brasileiro

Autores

  • Genio de Paulo Alves Nascimento Universidade Anhembi Morumbi
  • André de Paula Eduardo Universidade Anhembi Morumbi

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.159870

Palavras-chave:

Cinema contemporâneo brasileiro, Trabalho escravo, Vazante, Joaquim, O nó do diabo

Resumo

O cinema brasileiro recente tem se atentado ao tema do trabalho escravo, ou, ainda, ao trabalho precarizado e do passado escravocrata do país, há algum tempo, tendência que possivelmente se acentuou após os eventos políticos de 2016, notadamente o impeachment de Dilma Rousseff. O objetivo deste artigo é, através da análise de Vazante, de Daniela Thomas (2017), Joaquim, de Marcelo Gomes (2017) e O nó do diabo (projeto coletivo com direção de Ian Abé, Gabriel Martins, Ramon Porto Mota e Jhésus Tribuzi, em 2018), buscar a compreensão dos fatos políticos recentes, bem as possíveis razões da reiteração do assunto da escravidão e sua relação com o contexto político brasileiro atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Genio de Paulo Alves Nascimento, Universidade Anhembi Morumbi

Doutorando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi, mestre pela mesma instituição, e bacharel em Letras pela Universidade de São Paulo. Atualmente, é professor nos cursos de Comunicação Social da Universidade Anhembi Morumbi — UAM, além de colaborador na Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação — Intercom, onde exerce, entre outras funções, a coordenação da Categoria Cinema e Audiovisual da Expocom — Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação.

André de Paula Eduardo, Universidade Anhembi Morumbi

Doutorando em Comunicação pela Universidade Anhembi Morumbi, mestre em Comunicação pela Unesp-SP, e bacharel em Jornalismo pela mesma instituição.

Referências

A GRANDE feira. Direção: Roberto Pires. Salvador: Iglu Filmes, 1961. 1 vídeo (94 min), cópia digital.

ALENCAR, J. Cartas de Erasmo. Rio de Janeiro: ABL, 2009.

AQUARIUS. Direção: Kléber Mendonça Filho. Rio de Janeiro: Globo Filmes, 2016. 1 vídeo (145 min), cópia digital.

ARAÚJO, I. Submersa em esteticismo, obra aplaina o horror da escravidão. Folha de S. Paulo, São Paulo, 12 out. 2017, 01:00. Disponível em: https://bit.ly/3gSUpbt. Acesso em: 19 nov. 2018.

BAHIA de todos os santos. Direção: Trigueirinho Neto. Salvador: Ubayara Filmes, 1960. 1 vídeo (101 min), cópia digital.

BARRAVENTO. Direção: Glauber Rocha. Salvador: Iglu Filmes, 1962. 1 vídeo (80 min), cópia digital.

BERNARDET, J.; RAMOS, A. F. Cinema e história do Brasil. São Paulo: Contexto, 1994.

CASA grande. Direção: Fellipe Barbosa. Rio de Janeiro: Migdal Filmes, 2014. 1 vídeo (115 min), cópia digital.

CHICO rei. Direção: Walter Lima Jr. Rio de Janeiro: Arte 4 Promoções e Produções Artísticas Ltda, 1985. 1 vídeo (115 min), cópia digital.

COMO era boa minha empregada. Direção: Victor di Mello. Rio de Janeiro: Atlântida S.A., 1973. 1 vídeo (98 min), cópia digital.

COMPASSO de espera. Direção: Antunes Filho. São Paulo: Antunes Filho Produções Artísticas Ltda., 1973. 1 vídeo (98 min), cópia digital.

EFE. Marcelo Gomes vê retrato do Brasil atual em ‘Joaquim’. Estadão.com.br, São Paulo, 17 fev. 2017, 18:10. Disponível em: https://bit.ly/309pP7q. Acesso em: 18 dez. 2018.

FERRO, M. Cinema e história. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

GANGA Zumba. Direção: Cacá Diegues. Rio de Janeiro: Copacabana Filmes, 1963. 1 vídeo (100 min), p&b.

GENESTRETI, G.; ALMEIDA, M. R. ‘Vazante’, filme sobre a escravidão no Brasil, vira alvo de críticas. Folha de S. Paulo, São Paulo, 12 out. 2017, 02:00. Disponível em: https://bit.ly/372Y5Ti. Acesso em: 18 nov. 2018.

HAN, B. C. A sociedade do cansaço. Petrópolis: Vozes, 2017.

JANSEN, R. ‘Houve retaliação a Aquarius’, diz Kléber Mendonça Filho sobre Oscar. G1, Recife, 20 set. 2016, 11:12. Disponível em: https://glo.bo/2U7q2o4. Acesso em: 4 jun. 2020.

JOAQUIM. Direção: Marcelo Gomes. Recife: Rec Produtores Associados, 2017. (101 min), cópia digital.

LADRÕES de cinema. Direção: Fernando Coni Campos. Rio de Janeiro: Lente Filmes Ltda., 1977. 1 vídeo (120 min), cópia digital.

MATTOSO, K. Q. Ser escravo no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1990.

MENDONÇA, K: Houve retaliação a Aquarius. Carta Capital, São Paulo, 20 set. 2016. Disponível em: https://bit.ly/2zU9cSK. Acesso em: 4 jun. 2020.

MOURA, C. Quilombos: resistência ao escravismo. São Paulo: Ática, 1989.

NABUCO, J. O abolicionismo. Petrópolis: Vozes, 1988.

NA TRILHA do sol. Direção: Michael Cimino. Los Angeles: Warner Bros., 1996. 1 vídeo (122 min), cópia digital.

O DIABO mora aqui. Direção: Dante Vescio e Rodrigo Gasparini. São Paulo: Marluco Visão, 2015. 1 vídeo (120 min), cópia digital.

O NÓ do diabo. Direção: Ramon Porto Mota, Ian Abé, Gabriel Martins e Jhésuz Tribuzi. João Pessoa: Clandestino, 2018. 1 vídeo (130 min), cópia digital.

O MÁRTIR da independência, Tiradentes. Direção: Geraldo Vietri. São Paulo: Art Films, 1977. 1 vídeo (104 min), cópia digital.

O MECANISMO: Temporada 1. Direção: José Padilha, Felipe Prado, Marcos Prado e Daniel Rezende. São Paulo: Netflix, 2018. 8 vídeos (380 min), cópia digital.

O PROCESSO. Direção: Maria Augusta Ramos. São Paulo: Coijn Film, 2018. 1 vídeo (140 min), cópia digital.

O SOM ao redor. Direção: Kléber Mendonça Filho. Recife: CinemaScópio, 2012. 1 vídeo (131 min), cópia digital.

OS INCONFIDENTES. Direção: Joaquim Pedro de Andrade. Rio de Janeiro: Filmes do Sêrro, 1972. 1 vídeo (82 min), cópia digital.

PINSKY, J. Escravidão no Brasil. São Paulo: Contexto, 2001.

POLÍCIA federal: a lei é para todos. Direção: Marcelo Antunez. Rio de Janeiro: Downtown Filmes, 2017. 1 vídeo (110 min), cópia digital.

PUREZA proibida. Direção: Alfredo Sternheim. Rio de Janeiro: R.G. Produções Cinematográficas, 1974. 1 vídeo (95 min), cópia digital.

QUE horas ela volta? Direção: Anna Muylaert. São Paulo: Gullane, 2015. 1 vídeo (112 min), cópia digital.

QUEIROZ, S. R. R. Escravidão negra no Brasil. São Paulo: Ática, 1987.

QUILOMBO. Direção: Carlos Diegues. Rio de Janeiro: CDK Produções Cinematográficas, 1984. 1 vídeo (127 min), cópia digital.

REIS, J. J.; SILVA, E. Negociação e conflito: a resistência negra no Brasil escravista. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

RODRIGUES, J. C. O negro brasileiro e o cinema. Rio de Janeiro: Globo: Fundação do Cinema Brasileiro-MINC, 1988.

SANTOS, M. As cidadanias mutiladas. In: LERNER, J. (org.). O preconceito. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 1997. p. 133-144.

SCHWARCZ, L. M. ‘Vazante’ mostra um presente repleto de passado. Folha de S. Paulo, São Paulo, 12 out. 2017, 02:00. Disponível em: https://bit.ly/2XBEIhr. Acesso em: 19 nov. 2018.

SHOTAT, E.; STAM, R. Crítica da imagem eurocêntrica: multiculturalismo e representação. São Paulo: Cosac Naïfy, 2006.

SINHÁ moça: Direção: Tom Payne. São Paulo: Companha Cinematográfica Vera Cruz, 1953. 1 vídeo (100 min), cópia digital.

SOUZA, J. A elite do atraso: da escravidão à Lava-Jato. Rio de Janeiro: Leya, 2017.

STAM, R. Multiculturalismo tropical: uma história comparativa da raça na cultura e no cinema brasileiros. São Paulo: Edusp, 2008.

TAMBÉM somos irmãos. Direção: José Carlos Burle. Rio de Janeiro: Atlântida Empresa Cinematográfica do Brasil S.A., 1949. 1 vídeo (85 min), cópia digital.

TIRADENTES. Direção: Oswaldo Caldeira. Rio de Janeiro: Oswaldo Caldeira Produções Cinematográficas, 1998. 1 vídeo (120 min), cópia digital.

TIRADENTES: o mártir da independência. Direção: Peralisse Felice. São Paulo: Aliano Filmes, 1917. 1 vídeo (90 min), color.

TRABALHAR cansa. Direção: Marco Dutra e Juliana Rojas. São Paulo: África Filmes, 2011. 1 vídeo (100 min), cópia digital.

VAZANTE. Direção: Daniela Thomas. Lisboa: Ukbar Filmes, 2017. 1 cópia (120 min), cópia digital.

Downloads

Publicado

2020-07-16

Como Citar

NASCIMENTO, G. de P. A.; EDUARDO, A. de P. Joaquim, Vazante e O nó do diabo: a herança da escravidão (re)vista pelo cinema brasileiro. RuMoRes, [S. l.], v. 14, n. 27, p. 189-215, 2020. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2020.159870. Disponível em: https://www.periodicos.usp.br/Rumores/article/view/159870. Acesso em: 25 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos